24 de abril de 2010

[ Como se fosse uma canção ]

O ontem se torna um excesso se desejado sentir
Por isso penso que posso desejar um novo amanhã
Um agora para viver, um segundo para respirar
Se já foi feito? Pra quê se prender?
E porque se agarrar ao que nós teremos?
Tempos bons, não se repetem
Mas momentos novos podem-se tornarem bons.

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...