22 de outubro de 2010

"Desperto estou, para uma vida satisfatória, em todos os teus sentidos; amo, penso como quem fala e sei como quem tem aprendido. Adivinho como se não houvesse mágica. è tudo natural, porque as vezes ouço e obedeço."

"É como se uma máquina de ferro fundido tivesse passado por cima de mim, em cima do meu corpo. Porém, ainda não havendo força e vontade...