18 de outubro de 2010

Move o tempo, como moinhos de vento
Devolve toda a cor á palidez
O sangue lava o coração,
Bate forte, e não parece um tambor
Sentir-se bem agora é um ideal
Que se pode realizar
Não com a tranquilidade do ar
Mas sim com o alcance dos pés a cabeça
Forma-se aquilo que nem sei
Dito como feito, agora passo a vez
Balance como isso
Ou dance como aquela música
Moinho de vento, que devasta a terra
E com as mãos dadas, se aprende
Eu & Você
Está a bordo?


"É como se uma máquina de ferro fundido tivesse passado por cima de mim, em cima do meu corpo. Porém, ainda não havendo força e vontade...