6 de novembro de 2010

Deveria eu ousar com as palavras, mas as vezes prefiro só sentir, esta sensação que degrine qualquer fantasia, nos alerta de sorrisos. Cresci um pouco mais quando te conheci, hoje ainda continuo a crescer, sem superioridade existencial, passo a respeitar a mim, conhecendo os outros apenas.
Salva-vida ... Mas do quê? Só da vida ...

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...