29 de novembro de 2010

Não haveria nos teus pensamentos, portas
Que não poderiam ser destrancadas,
Uma guerra que por fim, não possa ser vencida
Por uma ingrime sinceridade, a indolência jogada fora
Erros que são feitos por atos
Que não possa ser consertados
Uma nova canção que não se possa ser cantada
Não creio na vantagem, nada me é imbatível
Os DEUSES, não são confiáveis
E nomes que nem se quer podem ser nomeados ...
As costuras não são invisíveis
E nem os sonhos são impossíveis

"Pois o impossível é tudo aquilo que não desejas conquistar, ter, ver ou ser."

Nem se quer os gêmeos são indênticos
E é sempre noite quando um dia se finda, termina
As verdades se quer são indiscutíveis,
Então porque suas explicações alheias?
As metas são atingíveis,
Inatingível deve ser teus sentires

"E quando penso que é tarde demais,
Noto o quão ainda é cedo pra desistir
Minhas emoções podem ser destrutivas
Mas nunca poderão alterar o que sinto
Pois se senti, pode ir ainda mais além
Do que antes houve."

E não há nada que não possa ser satisfatório,
Senão estar disposto a descobrir o que
A cada dia me tenho reservado,

Deixe-me compartilhar com você uma memória

Dentro desse sonho, há uma imagem da morte E ela me leva onde há um saco de ossos Em que ali está o meu nome E pelo corredor daquele vale...