18 de novembro de 2010

"São estes ventos que me levam
Eu nunca sei onde encontrar
Encontram-me a medida em que me aproximo
Pois senão for a ida,
Como se terá uma chegada?
È um risco que corre ao entregar-se
Mas também uma verdade que gosta de sentir!
Lembre-se de que não és tu que se achega ao luar,
Mas é o Luar que achega-se a ti
Sem pedir licença, se faz um dorso gentil."

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...