21 de novembro de 2010

Tudo podes pessoa
Porém há apenas uma fração;
Não faça o que desejam, e sim o que desejas
Pelo teu prazer ou de outro,
Tudo podes, só não faça teu sorriso sumir
Por um desejo fora do que pensas ter
Pois tudo aquilo que vier a confundir-te
Será de fora, porque o que está dentro
Só se vê ou vive quando desejas.

Tudo podes, tudo!

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...