10 de dezembro de 2010

Caminharei por uma terra
Que não é glacial, mas até imaginei reis por ela
Uma zona de imitação, que estarei longe
Sentirá falta daquele que caminhava poetando
Depois de tudo isso, quem é que
Não vai nos dar um lindo sorriso?
Andei até pelos rios, não era
Londres Pensar assim, me faz se sentir legal
Quando cochilo, penso em você
Quando acordo estou com você
Não é Londres me chamando,
È João Pessoa que me espera
As máquinas vão parar de funcionar
O homem vai se movimentar,
Vai adormecer num vôo, até pisar
A areia da praia, olha lá onde ele está
No horizonte azul cheio de ar puro
Não é Londres ainda, é terra de calor,
Onde o solo implora por água,
E os pés insistem em seguir, é minha
Londres Estar do teu lado meu amor...
Lêda Mikaelle Costa

Deixe-me compartilhar com você uma memória

Dentro desse sonho, há uma imagem da morte E ela me leva onde há um saco de ossos Em que ali está o meu nome E pelo corredor daquele vale...