10 de dezembro de 2010

"E sempre que nasce uma flor
Brota um sorriso no sísifo do sopé
De uma montanha ao longe
Aqui nestas proximidades
Encontro-me a beira de risos
E dos abismos longínquos
Nos distancio, por simplesmente
Não nos querer próximo ao eterno
Mas sempre presentes a vida."

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...