Levanta-te

"Isso tudo aqui é muito lindo ... Mas não sou assim,
sou o que falo quando não penso pra falar."

__________________________________
"Direitos Autorais."
Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184, do Código Penal Brasileiro. Não copie sem divulgar a autoria !

quarta-feira, 30 de junho de 2010



Eu simplesmente parei, e quando se quer parar pára. Quando não se quer, permanece naquilo que nem mesmo se necessita. E se não há vícios o suficiente para acabar com o homem, o homem sim torna-se o suficiente para destruir tudo aquilo que o tenta parar e enganar-se a pensar que não pode. Quando simplesmente se faz acontecer, sem promessas.
"Falar é locutar o que pensamos, pensar naquilo que queremos, é buscar e ter pela força que não vemos, mas possuímos. A mente não é traiçoeira, traiçoeiro é pensar que nossa mente nos engana."

Como é liderar?
Tem algo lá fora, não tem?
Você já conseguiu o que queria
Um novo lugar para começar
Então o que você tem a perder?
Agora basta ir...
Você já conseguiu o que queria uma vez!


        Minha Lua Vidente

Os sussurros dos ventos, não é
Simplesmente os ventos atrás das árvores
È tua voz percorrendo o ar, atravessando
Os mais brandos mares & ares

Ouço teus gritos, os fantasmas
Dos teus detratos, a terra
Traduzindo tudo aquilo que se ouve
Dá arrepio só de falar e nem mesmo sentir

Posso ver teus passos dançarem
Em meus olhos acender resplandecer
Bem perto! Mais perto... Mais perto
O meu beijo para a Luna

Meu olhar presente, meu suportar
E enquanto eu durmia, eu sonhava
Com os que riam de mim, não deveriam rir de mim
Agora tudo que ouvi falar, se fez
uma volta na árvore, de volta para você.

"Um requiem com orgulho."


terça-feira, 29 de junho de 2010


── Algumas vezes, falei sem pensar. Imaginando que poderia ser da mesma forma a qual ouvi. Mas quando notei, me vi a mercê do que desejei pra mim falando por outro. Eles tinham me mostrado um caminho pecaminoso, eu tinha uma ponte. Passei por cima de tudo, os poços e abismos deixados para trás. Passei por invernos, estou passando a acreditar que a minha vida é uma toda primavera, que simplesmente pode se viver sem temer as coisas que nos falam, é sempre outonal meu olhar, para que meu viver seja somente aquela dita primavera florida.
//Brih, e suas primaveras desejadas.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Vou sair por aí e andar sem rumo, encontrar aquele que busco. Fecho meus olhos e te encontro em carne Nada irá fazer com que meu amor por ti diminua. O amor que se define em honestidade, carinho, compreensão, atenção. "O que não se gaba, nem é arrogante, não se comporta inconscientemente, não quer tudo só para si, não condena por causa de um erro cometido, não se regozija com a maldade, mas com a verdade. O amor nunca falho". (James C. Hunter) – Penso em tudo que desejo se tornando realidade: Os dias mais alegres e as noites menos sombrias; um sorriso a cada olhar de criança, jovens, idosos; um amor retribuído. Realizações; algumas fantasias, outras a pura verdade e jamais uma mentira a qual nunca será recebida com afeto, sempre será julgada por sua aparência. Comportamentos diferenciados; pensamentos dignos de opiniões distintas. Sou diferente de ti assim como outro ser. Temos semelhanças e nada além disso. Atitudes que gritam dentro de nós querendo cada vez mais aquela ação para mais perto. Meu jeito de mulher o que só existe é uma alma de criança – inocência. Aquela que é conduzida por fantasias: Acredita em amor a primeira vista; acredita em finais felizes. Sou a que se torna a fada brilhante que voa que nem estrelas nos céus. Que arranca com facilidade o sorriso de uma criança; que vive no mundo azul. O sentimento único e tão fascinado por tuas palavras que correm em minha face facilmente – emoção. Não sou poetisa muito menos uma filoeta, mas sou quem eu sou e não mudarei meu jeito de ser, pois foi dele que conquistei o teu digno amor. Sou a mulher, menina que tem os seus defeitos; tentando melhorar não o que sou e sim atitudes capazes de mudar cenas. Sinto orgulho falar teu nome, sentir o teu cheiro. Sou menina, sou mulher, sou quem não se esconde atrás de uma máscara, sou quem não esconde as lágrimas por um desejo. Sou quem está e estará ao seu lado nas melhores vitórias e nas derrotas erguendo tua cabeça. Que o sol e os luares sejam testemunhas deste amor que se inicia sem fim escrito.

Por: Lêda Mikaelle

"Prefiro a naturalidade das aparições, da realidade, das coisas que perdi, daquilo tudo que me veio. De um corte que arde, de um ferimento que se fecha. Do inverno que chega voraz, de um sorriso que nasce do que a frustração de não realizar um sonho.



"Estou caminhando sobre os trilhos, sentindo o vento passar. O aviso da chegada do trem, eu continuo a caminhar sobre os trilhos. Pressinto o trem se aproximar, vou caminhando, até escutar o trem apitar, é meu pensamento avisando sobre o perigo. Eu quem vou me aproximando do trem, ele sempre passa ali. Sou em quem estou indo de encontro a um fim, somente me paro, pulo pra terra, sinto o vento mais forte ainda, o chão treme, e os vagões de ferro, murmuram como se não mais fossem suportar o tic-tac. Estou seguro, só pensei que o trem não passaria naquele momento, eu volto caminhar... Nos trilhos,
SURPRESAS DE UM CAMINHO QUE EU AINDA NÃO TRILHEI."

domingo, 27 de junho de 2010


Sei que sim, com tudo onde busca algo encontrará, e quando então ver que achou,
não deixe ir, se não quiser. Para que possa dar com carinho, e receber sem mesmo ter esperado, é só assim que se encontra o que nos perdemos e nem mesmo tivemos.
Eu acredito... Não só existo, e porque ainda acreditam que existem impossíveis, se tudo que existe é possíveis não arriscados.
"Eu bem que queria ser um gênio, e tudo entender. Assim nem me haveria a necessidade de lhe explicar ou escrever, quando tudo eu saberia."

sábado, 26 de junho de 2010

Fechar os olhos e ver o que quer
Levar um momento para acreditar
Que nem tudo que se viu é verdade
Sem esperanças, mas encher-se de
Desejos que desistem ao terem um outro
Sem ter mesmo vivido o sonhado de antes

O que são suas verdades, se não acreditar
naquilo que vem de você?


Eu sei que isso não é meu, vi em algum lugar. Sendo de um homem, bem desfocado ao que ouvia, mas via. Sentia, fazia... Da sua mente um mundo onde ele poderia inventar uma religião, mas nunca mudando sua fé por aquilo que acredita.
Bêbado... Ao invés de dependentes de drogas que curam como remédios. Qual drogaria, tem o remédio pra minha cura, se não aquilo que vivo, sabendo que a partir de quando nasci terei de morrer? Quero viver minha vida, e impedir o controle da minha morte!
Eu junto meus pedaços, deixo de notar o que são deles. Dos pedaços faço partes, deles, o que noto apenas deixarem pedacinhos de sorrisos. Poesia é a fé a qual não se divide e vive, mas quando olha pros céus sente aquela toda vibração existente sem ouvir a nada, se não os ventos. Diferente dum altar que os abriga a dar o que o homem criou para o fazê-lo fraco. Dinheiro são notas, como pedaços de papéis que me encorajam a ir num lugar a qual nada me cobram minha mente, meu coração que não teme ao medo, mas sabe que um dia terá de para pela própria vontade de Deus, e não do homem.

Vou só contar com o meu momento
Sentir só o que me vem, deixar o que dizem
Dentro de mim; Só o que não se vê
E porque dizem tanto?
E ficou sem vontade
Porque a vazão não era tua
Que tal romper a ingratidão
Não abrir a janela e sair pela porta
Interpretar as janelas, e deixar
De ler aquelas todas portas
Meus olhos só se tornam chuvosos
Quando choro
E quando falo, só penso por mim
Deixando de ser a fantasia escondida
Nos olhos dos outros.





Eu estou simplesmente pronto para me perder quando pensar que não conseguirei. Para que então simplesmente ao encontrar-me perdido eu possa me achar mesmo que eu não conheça o lugar a qual estou a pisar, mas sim a me conduzir ao que pode ou não me permitir estar.


sexta-feira, 25 de junho de 2010


"O homem cansado é percursor de uma estrada cansada. E o homem corajoso é destemido a atravessar uma estrada até mesmo perigosa."

quinta-feira, 24 de junho de 2010


"Não me mande uma carta. Fale pra mim com o olhar o que não se entende ao ler as palavras. A voz transmite, verdades. E as palavras escritas?"
Ter a certeza do que queremos, é o que nos faz ter alguma coisa. Sempre que ao acordar haverá o que pensar, como um sorriso que mantém o dia sereno e belo. Não é um sonho ao acordar, mas poderia ter sido um pesadelo ao apenas estar adormecido, não faz sentir medos. Mas sim coragem de acreditar que na vida, tudo se pode ter.



"Movimentar-se para que não deixais o equílibrio lhe fazer olhar pros lados e cair. Movimento ao invés do equílibrio."

"Cheiro que não existia massifica mentes que tão simplesmente crescem sem pressa, pois tem o todo tempo nas palmas das mãos."

"Eclipse lunar, é um fenômeno. Eclipse feito filme, é só mais um crepúsculo que cega os olhos do ser humano iludido."

quarta-feira, 23 de junho de 2010

"Odiei tanto, que de tanto odiar, só consegui aprender o que é gostar. E hoje sentir o que é o verdadeiro amor."


Os guizos que inspiram as flores
A noite que expira a essência
Canta o vento sobre a loucura
Estala a imaginação da fronteira

A alma e o corpo se perdem
Os rubros sonhos noturnos
Vela o sono por arcanjos
O piano ao alampadário

Jazem no mar o silêncio
Alvorada nas montanhas
Dividido mundo que era e é
Tudo que poderia ter sido.
Cassandra

terça-feira, 22 de junho de 2010

(...)                  (...)



"Quando uma pessoa sofre pelo seu personagem. Isso se chama delírio mental. Quando outra pessoa, segue este delírio. Torna-se uma insanidade, sem controle. Quando muitas pessoas, perdem tempo, causando intrigas, e conflitos num mundo 'falso' constata-se a passagem do tempo a vivência naquilo que estava pronto, e foi tomado.

"E a perca de ideologia, própria. È ostentação por bens que nunca terá... A linha invisível, te separa do real, e você passa a centrar sua vida ao nada, dando vazão apenas as palavras que geram sentimentos!"

Não existe sentimento verdadeiro, por aquilo que tomou, sobre os dedos alienados pela mente quando se fazia naturalmente, o mesmo motivo que não existe um mundo 'falso' ou inventado "perca-se." Você sente que a seu redor, só há pessoas falsas. Há algumas que desejam ser como você, outras usam suas fotos, em murais que se tornam crucifixos. Ilusórios sentimentos, sorrisos irreais. Para afundar-te em sua própria quimera desmedida por falta de criatividade... Separa-se, o imaginário do falso. Estando no real entre os dois.

"Vivo assim, de forma tresloucada, a qual você imagina ser insanidade. Que para para mim, é tão normal quanto ao que sua mente cria sobre mim. E para que você permaneça neste meu mundo, existe possibilidades, e não fatos. Embarque em minhas loucuras, ou crie, as tuas. "Para que você, alcance o lugar onde minha insanidade, se põe a adormecer. Nunca se esqueça, que seus olhos não alcançam. Mas poderão ver a verdade."

─ “ [gray][b]M[/b]anhã nublada.... [i]Dia[/i] frio, além de que o [b]sol[/b] se quer viria a aparecer. Como combinado, meu serviçal me avisara dos dias assim, eu poderia provar do gosto sub-humano, andando durante o dia que mais parecia uma noite. Os ventos eram fortes, e o frio [b]denso e pesado[/b] assentia que as pessoas lá fora trajava roupas pesadas que seriam o suficiente para as protegerem dia frio. Eu por vez que não deveria me importar com aquilo, vesti uma calça preta, além de botas, casaco e luvas de lã, ao pescoço um cachecol que adornava bem aquela minha parte corporal. Maço de cigarros, isqueiro... Já me era o suficiente para sair, logo eu estava fora de casa, não poderia arriscar ir longe demais, mas ainda sim, ousaria uma volta pela cidade onde morava. Não, nada de carro, pois meus pés me serviriam de direção, passos leves e tranquilos até que me aproximo de uma das bancas mais conhecidas da região, [b]banca[/b] de [i]jornais[/i]. E lá havia apenas uma mulher, cabelos longos e vermelhos, se vestia bem, e me parecia distraída ao ver uma notícia em primeira página de um jornal. Eu não tinha aquela hábito de ir e vir a uma banca, mas naquela manhã que me fazia se sentir andar numa noite, pois os céus estavam escuros, e os postes de iluminações era o que deixava as ruas visíveis. Poucos carros e pessoas amenas sobre as calçadas, me aproximei daquela mulher e disse para que me escutasse:[/gray] ─ Tem vezes que eu não se se me impressiono com a notícia... Ou é a notícia que me faz impressionar-se para atrair minha atenção... Bom dia, senhorita! [gray] Voz tranquila, e por educação disse aquilo, claro. Eu não era sempre o tal insano, que com nada se importava, bom dia ao [b]jornaleiro[/b] em um gesto positivo com a face, e quieto fiquei esperando a reação da mulher.
Sinto cheiro de rosas mortas, murchas em algum jardim. Vou caçá-las, guardá-las, escondê-las para numa noite fria de inverno as trocá-la pela água corrente dum rio voraz. Que as levará para um mar secreto... Molharei a ponta dos dedos, pedirei a lua que me guie a luz de sua aurora, até o mesmo jardim a qual as tirei... Plantarei jasmins, carmesins num profundo azul brilhante, o vermelho rosado das rosas. Púrpura cor de prata, sobre as ramagens frias de ondas mansas num ribeirão de vida pura. Vagava o vento com o cheiro de terra molhada, chovia do outro lado. Lá longe onde os pinhais cobriam a terra escura por corredores que vibravam os arbustos. No ar da noite, que clamava pelo amanhã, longas horas a se passar vagamente com o tempo. Veludosas nuvens, até o amanhecer trazer a chuva fraca para regar as vivas rosas daquele jardim de nova volúpia, Virmilia manhã com sussurros d'água.

segunda-feira, 21 de junho de 2010


"E quando chega no fim. È que pensamos no começo.
E quando estamos na metade. È que se pode parar.
E quando olhamos pra um fim. Podemos ver um novo começo.
E quando se vive um novo começo. Não se chega no fim,
só pensa no meio da história que será então vivida.
Até o fim se torna páginas intermináveis de uma história."



Somente me sustenho tendo injúrias contra a sorte. Brande os olhos sorridentes como um espelho. Há-de me guiar a vitória sobre os passos.

domingo, 20 de junho de 2010

─ “A maneira mais fácil de resistir sendo o último,è a forma mais simplificada de permanência em vida de, que amamos sem receio, pois não necessita-se de estar em cima
Quando em terra temos uma pista de aterrissagens nos levando
Aos lugares que bem desejamos viver.

sábado, 19 de junho de 2010

"Feito de Riquezas Mortas"

Quanto mais eu falo com os mortos, compreendo que os medos e sentidos de vida. Podem ser despertos pelo irreal que pensamos. Como a realidade que vive-se, por ser tão simplesmente real.
"Filosofia dos mortos; Homens mortos não contam mentiras"

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A minha lealdade está naquilo tudo que lhe digo. E sua credibilidade naquilo que me diz. Porém se estou no comando daquilo que faço por mim, vai lhe permitir um espaço para estar ao meu lado. E se então deixo por me perder, quero ir-me para longe de você. Pois somos livres, antes de opressões, e ainda continuamos sendo livres quando temos muitas coisas a perder. O que acha de rodar ao lado do sol? Quais os motivos pelos quais você peca, se não fazer aquilo que lhe dizem ser certo. Sem mesmo se precaver daquilo que por si só criou?

"Acha que estou chapado o bastante... O suficiente para perder o que nem tive? Então me faça se perder para encontrar tudo aquilo que lhe deram e você não quis."
//Feito por, Mikaelle Costa

E aquele caminho trilhado por atalhos?
Lembra-se de quando foi tão fácil pular o muro?
Deixar de seguir a ponte, enfrentar a tempestade?
Forçou a verem outro lado teu, que nem existia?

O todo calor do deserto, poderia lhe cansar
Mas você poderia ter continuar, por um impulso
Que jamais seria causado num segundo alheio
mas sim de dentro daquilo que chama-se; Querer

Uma estrada da noite, me leva pra
Um lugar cheio de fantasmas, faz-me temer
Mas meu caminho pelo amanhã
Faz-me encontrar com o brilho de um arco-íris

Eu vi um sábio valorizar suas palavras como ninguém
Pois aquilo que vivia era teu, e o que diziam
Eram as fantasias diferente de livros
Reais o suficiente para torná-las fábulas
Em livros que ainda seriam escritos.

Não morreria para ser um herói,
mas seguiria por estradas desconhecidas
Para fazer nascer de uma nova fonte, vida
Era só um caminho a seguir... Avante
"Fracos ou fortes, sobrevivem"

"De como perseguíamos... O Sol
Para chegar as estrelas quando chegava a noite."

"Todos falam sério, todos eles levam a sério. Mas esse sério me parece brincadeira"
//Rita Lee


Poeta não olha um olhar, poeta escuta a voz oculta a qual esconde qualquer sentimento. Filósofo, pelos sentido sabe bem o que necessita uma pessoa, quando ela vai se matando aos poucos por tuas próprias palavras. Filoeta, enxerga a alma de qualquer pessoa que fecha os olhos para falar com o coração.

Interlúdio III, Persistente.

Então olhe bem no fundo dos meus olhos. E tente sentir aquele tipo de emoção que começa a nascer quando não se pode comparar as palavras com um sentir. E olhe eu correndo contra o vento... Minhas consequências, vem me trazendo o amor, o carinho, a compreensão, uma vida a qual não conspira contra mim, mas conspira contra o universo que as vezes parece até parar. Meu pensamento está tão devagar, estou ficando no ar, até o mundo acabar, eu não me acabarei. As várias temporadas, as minhas resistências. Vem Janeiro, se vai Janeiro... Que eu não serei passageiro, mas meu tempo me trará coisas passageiras ── E quem sabe você agora entenda que fazer o mundo acreditar, é ser invencível aos medos, intocável pelos males. Persistente ──

[ E não há tantas coisas, a contar
Mas acredito que ainda haverá tantas a se viver.
Porém, boas serão todas aquelas que antes deixei de fazer,
para que ainda eu os fizessem acreditar,
que pode-se sentir-se bem, temos pistas
de aterrissagens se nos sentirmos muito altos ]

quinta-feira, 17 de junho de 2010


"Quem coíbe as história não contadas? Se ainda poderemos vivê-las por saber que tudo é possível, desde que não tenhamos medo, mas sim caráter de fazer. Agora sei que colherei as sementes que tive plantado. È um campo aberto, onde vou pisando sobre terra macia, para provar que nem mesmo com os pés descalços estou impedido de continuar a viver. Eu sou o céu, que gentilmente deixa refletir o azul do mar, para mostrar que tudo que brilha, são as estrelas em suas profundezas, que amansa a superfície. Que se torna o mais natural espelho, e que não reflete as lágrimas, mas sim um olhar que deseja estar sempre vivo.


─ “ Tudo que passa nos deixa algo, como um entendimento. Faz com que as marcas se tornem cicatrizes, as lágrimas cristais. São as que vão parte dos ventos, nos deixando as sensações mais agradáveis que podemos sentir. A melhor coisa que se há não é lamentar o que se foi, mas sorrir permitindo o que nos virá. "O tudo que permanece, é o mesmo que também nos ensinará a aceitar que o tempo não é pressa para se ver nascer, mas é a cada dia que nasce ter os mais belos motivos para sorrir."
//Dedicado a, Karol
Sonhos frutuosos, a darem-nos sementes vivas. Sonhos só sonhados, fruto de imaginações como uma fonte de vida.

"Todas as novidades, tornam-se coisas velhas. Quase nunca são bem-vindas, pois agrada um, desagrada a outro. Desfaça uma novidade, e vá sempre desatando os nós."

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Duas pontas cor de prata
Lua atenuada no horizonte
Uma fonte & um norte
Não sei porque ouço teus segredos
Bebo em tantas as fontes
Onde será que o dia amanhece?
È sempre cedo por lá
Dizia nos teus ouvidos, o que meu coração
Não sabia se quer sibilar
Estava em meio aos medos,
as crenças de fantasia
De raros Deuses que
Não sabiam falar, eu ainda estava
escutando os ecos dos ventos
Arrastando o tempo, que segredo?
E os sonhos que não sei?
Os rios que não mergulhei?
Aquele olhar atento, disse-te amar
Das coisas que nem sei
Era meu pensamento, vi o virar amor
Revirou-se tanto as vezes
Ledice de uma Leda, maravilhosa
Tinha um luar, um sol, um mar
Descumprir os deveres, por sua liberdade
Não havia motivos para pecar
O que acontecia no teu sertão?
As nuvens leves como um pedacinho de algodão
A todo segundo tinha um tempo
Não haveria mais uma pressa
Só teria tempo, poesia
Nem consta no seu pensar
Que havia um passado
Os livros para escrever, as páginas para desenhar
Que queira ir ou não, ledices
Leda, que tem as cores de uma borboleta
O cheiro das rosas
Míticas manias de viver.
Evoca uma magia atemporal... È suave,
como os ventos que tocam as rochas
Propaga-se por entre as flortestas
Caminha majestosamente sobre a terra
Estava escutando as teclas de um piano,
a lareira em brasas, as chamas aqueciam
Os augúrios do vento, uma magia atemporal
Evocada por minha sentinela, que não queria filosofias
Mas sentidos para interpretar as estrelas no horizonte
No riacho a água clara escorria para algum lugar
Por entre as entranhas de cachoeiras o brilho lunar
E lá de dentro, tudo passava a se massificar
Uma estória pra contar, o lençol cobria as pernas
O livro entre os braços cansados
O olhar fechado a deixar a mente dormente,
e só as cortinas dançavam, o vento invadia
o cômodo por entre um pequeno vão aberto.


terça-feira, 15 de junho de 2010

Mais louco do que eu quero que exista. Pois não é a loucura que faz dum homem tolo. Mas é aquilo que ele faz sem temer que o torna homem de verdade antes de qualquer loucura. Ou em qualquer canto que ele esteja, não é as palavras que ele diz. Para o fazer uma pessoa boa, antes de qualquer maldade que o digam sem mesmo existir.
"Que o bem exista num ser que faz o bem, que o mal seja algo bom que o dizem ser mal."

"Porque eu não me importo de ser o que posso. E me mostrar como sou, mas me importo antes de falar sobre a opinião de outro sem ela mesmo ser o que penso pelo que diz. Mas sei o que ela é pelas tuas verdades que mostra-me. Sou poesia... E o que vivo sendo catástrofe pelos outros torna-me filosófico a cada segundo de vida. Não me prendo as coisas materiais, mas deixo aquilo que compra-se coisas materiais se ir, para ter coisas mais reais. Ninguém se torna suspeito por aquilo que fala, mas é vítima daquilo que quer por nem mesmo fazer tornando-se responsável pelos seus atos antes de réu dos outros."

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Sinto-me uma ápice intocável, por qualquer male que exista...
Pois se existo sei das coisas que pode me existir!
Um epicentro onde espalha-se inspirações infinitas... Ar, água, fogo, terra, tudo parte de mim!
Dedico a, Victoria// Por maravilhosos 3 anos.
"Não precisa-se de constrangimento quando se esquece a data, o importante é nunca esquecer a quem amamos, e a cada dia querer viver um pouco mais, para que a todo momento possamos estar presentes em suas vidas, as fazendo bem. As datas são só datas, os corações o sentido da mente, e a mente o que nos permite reconhecer um gesto, e não um dia que sempre se vai passar."

"Nem sempre as respostas, serão partes das perguntas. Mas sempre que fizer uma pergunta terá uma resposta. Com tudo, as vezes as respostas tornam-se soluções, quando a pergunta é então verdadeira."
"Me vendo interpretando a vida que desejo ter, já que ela não poderá em momento algum vender-me."
"Nossos olhares têm a ampla oportunidade de torna-se residentes de paraísos; Mantendo o corpo e a mente a todo tempo ocupados. Nos enriquecendo, e quanto mais ocupados, mais possível será de aproximar-se de grandes extraordinários.
Não saia para correr sem uma roupa adequada, o lugar
que se deve correr, os olhos encontrarão."

sábado, 12 de junho de 2010

Eu só consigo explicar as coisas que vivo, e por isso não poderei explicar o que significa amor, em palavras mas poderei te amar, para que possam saber o que é amor.                
Amo, pois tu é a minha poesia.          
Gosto, pois você me faz sentir               
Vivo, porque tenho ar          
Sonho, quando estou adormecido em teus pensares                    
Sinto-te, pois tu é o meu amor.
Leda Mikaelle Costa//

sexta-feira, 11 de junho de 2010

"Os jornais poderiam mostrar as praças. As ruas onde estão pequenos lazeres, as peças apresentadas pelos centros das cidades. Se fosse assim, não haveria tanto constrangimento a quem nem mesmo o viveu, é possível que ainda mude. Mas se continuar, somente catástrofe será o teu País."
Urgência jornalística, influência de mentes que tornam-se
Sujeira por teu sangue falado.
Lamento uma perca, mas não posso constrangir quem a perdeu.
"Rede Globo & Rede Record; risco de corromper tua mente. "


Eu tenho razão naquilo que vivo. Pois se não tivesse minha razão não me permitiria ser feliz. Me fazendo se arrepender de cada coisa que posso fazer sem antes tentar. Sou poesia, sou homem, tenho uma vida. Respiro, Deus é o único que pode me fazer parar, então se continuo é porque ele me permite. Ranny, Ranny... Ranny!

Ranny, que sabe o que é cheiro de
Pólvora, e o que é cheiro de rosas
Sabe o que são boas companhias
Para enganar a passagem da vida
Sabe o que é viver sua vida
Para em cada segundo de vida
Estar ao lado do tempo que é teu.



"È sempre que respiro, que posso ler aquilo que minha mente me permite a escrever...

"E quando então a tristeza bater em minha porta. A deixarei que entre, mas simplesmente para que eu possa sair."

Das coisas que me permito escrever, são aquelas todas coisas que estou permitido a viver. E daquelas coisas que ainda não pude falar, de certo ainda poderei as ver. Não falo de paixões, falo da chuva que também são passageiras.

"Não costumo abrir um livro, e ler... E admito que tenho 12 sobre uma instante empoeirada, com tudo nenhum foi terminado, entre outros que nunca os abri. Mas a cada vez que vejo algo de que alguém escreveu surpreendo-me por ser diferente, assim como não precisar ler, mas saber escrever. A mente conduz os dedos, que vai se desenhando, inicia-se com uma letra maiúscula, ao meio vai se expondo as idéias, o fim um ponto pelo qual dá início a uma nova história. E não há nada que me torne diferente de uma pessoa, se não pensar de uma forma pela qual me permito, para viver. Um filoeta, que quando tem a mente perturbada tem a poesia como refúgio, e quando então pensa estar magoado a mente conduz os passos, para o coração sentir algo ainda mais inovador... Do que as coisas que não se vê, mas se faz existir a cada segundo, pessoa! È assim que este menino, é...

quarta-feira, 9 de junho de 2010

"Nunca haverá um sempre para quem sabe que o para sempre, é só uma fantasia. Mas ainda sim, haverá onde estar quando então o sempre permanecer longe, pois ficar sempre insistindo na mesma coisa, te faria perder a razão de alguma coisa especial que nem sempre se tem. Mas terá se em qualquer outra coisa tentar. Mas nem "Sempre."
"Meus interesses são só os que não existem. Pois interesses, são só interesses, dá-se para querer alguma coisa. Sem esperar"
Dedicado a/Erika de intensas imaginações,

"Sonhos, são só sonhos. Acredite"

Tecelã do tempo;
Um sonho onde a lua tomava o lugar do sol... È mesmo.
Um viva ao feminismo.
O sol é mais forte sim, mas a lua é mais mística, mais cíclica, mais misteriosa, mais envolvente
... Muito, mais muito mais feminina ...
"ERA sobre a lua"

Filósofo;
E se não fosse assim, não haveria o Luar pro sertão, a Lua para a cidade... Talvez seja tua misticidade que torna-se encantadora, capaz de então fazer pensarem de um modo apenas, quando há tantos, isso pela certeza de que ela é misteriosa, e contém seus mistérios, num lugar onde não costumam ir, somente ver do mesmo modo. A Lua é compreensiva por receber o sol, mas nunca perde o encanto quando se aponta no sertão!
Foi um sábio quem me disse...
"ERA ainda sobre o Luar"
Os dias de sol, purpurinas brilhantes. A aquecer as almas frias,

"ERAS de dias & noites, SÓIS E LUAS.
Tempestuosos como água & fogo."

            Parafraseando.

"Não sou eu quem tenho escrito, são meus dedos que se movem de acordo com aquilo que vou imaginando. Assim como os movimentos partindo-me para os lugares desconhecidos, como se fosse então atraído-lhes a moverem-se até que teus olhos possam ver. Tua mente assentir e você, por fim não mais desejar aquele mundo de fantasias, é somente isso para te fazer agora sorrir. Ou se não, continuo a "Para-frase-ar" formando um novo lugar, onde encontra-se uma sã consciência de um "E-ter-na-mente." Tô "Para-frase-ando" para não parar de te fazer imaginar como tudo isso é possível. Sendo que nada mais lhes será impossível."

terça-feira, 8 de junho de 2010

"Mas até que lhe falte ar,
notará que viveu o tempo o suficiente para ver que nada foi simplesmente em vão.
Foi uma verdadeira e infinita passagem para a eternidade;
O que significa que nem mesmo os imortais, são imortais.
Pois os heróis morrem, como o meu morreu, além de que tudo que anda pode se parar. Tudo que pensa, pode-se quebrar!
Lapsos filosóficos,

E não quero mudar-me pelo jeito que tenho
pelas coisas que faço.
Quero somente poder mudar o tempo quando então;
O tempo somente quer me passar.
Quero ser descontínuo quando o muro me atravessar o caminho,
pois somente poderei mudar o rumo dos meus passos
Vou pra minha ponte
Não quero mudar-me...
Quero me ver vivendo a toda poesia que se faz presente no ar que eu respiro
pois não muda-se o que somos,
e sim as coisas quando as temporadas novas chegam
Se é diferente a cada olhar,
Lapsos filosóficos

"Toca-se no mar, voa-se nos céus, e chega a meus ouvidos como uma canção...
Cris//Tal

Tuas lágrimas me serão poesias, teus sorrisos escondidos, segredos que nunca os vi, mas poderei então desvendar. Farei da sua tristeza, tua própria coragem. Mesmo fingindo ser ninguém, fingirá que está tudo bem. E lá longe onde há cheiro de rosas mortas, encontrará um amor perdido, a qual não teve. Mas viverá, por nunca ousar dar mar, tuas flores regadas a orvalhos em lágrimas. È mórbido o sentimento não correspondido, mas eterno é aquilo que se faz evitando que tudo seja-lhes motivo de fugir. Boa no que faz, ingrata, tem os cabelos da cor de fogo, são suas próprias chamas a controlar, com aquilo tudo que os olhos escrevem atrás de sua mente. Perturbador um instante, significante colher as rosas mortas para novos perfumes sentir. "Seus dedos sabem dedilhar, dedicar-se em um segundo para o nada. Sempre lhe será o pensamento puro, para atrair os intermináveis outonos. Época de folhas mortas, campos ceifados, levando pensamentos. E antes do outono, sempre volta a primavera, nos campos há flores, perto das rosas, sente-se um natural perfume de vida."
Dedicado//A Bruna, de sonhos natimortos, exatraindo vidas em Ares.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Acredita-se que uma pessoa, não sente-se necessitada de um amor, mas um amor precisa encontrá-la para satisfazer suas vontades.
O amor, pra mim está em meio a toda aquelas flores no vaso, entre os arbustos de um jardim.
O amor, me parece estar a cada palavra que se diz, no olhar de uma criança, sabe aquelas nuvens que escorre os horizontes, então... Penso que o amor mora lá, mas está em todos os l
Penso que o amor mora lá, mas está em todos os lugares. Que em tudo toca, mas em nada fica. E a única coisa que basta, é nos torarmos o nosso amor, para de nada necessitar e tudo em qualquer lugar, ter...
"Não é que não amar a um outro seja frio, é questão de caráter, apenas gostar, e não ter que mentir falando do amor."



Eu estarei no topo das rochas,
quando se encontrar eu te darei a mão para estar do meu lado
E eu estarei sempre aqui, ou se estiver ali, é por mudar quando preciso.
Perfect stranger's... ♪

domingo, 6 de junho de 2010

"Vai... Estar é tudo errado, mas vai ficar tudo bem. Daquela mesma forma que estava bem. Quer ver o que tem pra viver. Não se importe com seus atos antes de fazê-los."
(...) È do jeito que és, para sempre alto estar; Ande por este mundo louco, como eu ando. È um jeito que lhes permite saber a hora exata de dormir. Veja com os olhos tudo que é bom, deixe ir aquelas coisas lá, aquelas que tudo parece ser. Uma voz doce, aquele toque de violão, as mãos leves se passando nos fios do cabelo. Faça dura por toda vida aquilo que é vida, as flores de um vaso, lhe deixando sentir uma adorável fragrância. Fale bem daquelas coisas que lhe falam mal, segure a mão de outro não o deixando ir. Agora que já sabe que as vezes as coisas não é como quer, de um tempinho, vai lá no quarto; Pegue um lápis e um pedaço de folha... Escreva qualquer coisa, vai transformando uma coisa que nada tem, cheia de letrinhas. Não diga que amanhã é tarde, se disser que quer viver, suas letrinhas, lhe darão mil razões para ser feliz. O tempo que for, você pode esperar. Você tem uma eternidade... Está escutando aquele suave som? Aquele eco que vem do nada? Aquela sensação por aquilo que estais pensando? Lembrando que sua memória as vezes não lhe dá paz? Como também se esquece do que quer falar neste momento? Logo vai sair do quarto, e ver que aquelas coisas todas, se passou mais uma vez. Agora... Deixe a vida dançar pra você, para que o mundo não lhe deixe faltar uma cadeira quando a música parar. Badale os pensamentos, para eles não pararem, percurso os passos para qualquer lugar, onde tudo pode acontecer... È a prova mais simples, de que qualquer impossível, deixou de ser. Para simples possível ser ao acontecer.

È amanhã que o sol vai ou não nascer,
Não temos sons de bardos, mas teremos
Boas canções, a aurora da noite
E o amanhã levará o medo embora
Pois o sol nos indica a estrada de um caminho
Contos de um homem corajoso
Sem reino, sendo um rei.




O padre disse;
Se todos os homens gostasse de homens e todas as mulheres gostasse de mulheres o que iria acontecer?
O pensamento fiel; O mundo iria acabar.
O homem incrédulo; Pensava
Talvez se o mundo tivesse sido feito assim, não haveria traições entre os que vivem.
Reformulava-se na igreja;
O tal pensar impressionado sobre aquilo que nunca feito foi, para não existir.
Seguia-se uma linha de pensamento do outro lado;
E se a matemática fosse o português? O inglês no linguajar o russo fluente?
Estranho quando então torna-se incrédulo por ver que não é, mas seria possível quando feito.
Resume-se em;
Não são as coisas que deixaram de ser, mas quem sabe será as coisas que ainda haverá de existir.

"A evolução continuaria até mesmo porque, se assim não é. Se fosse, diferente seria! Os segredos permaneceriam, pois as mentes ainda haveriam de pensar, e sonhar."

Relacionado a fé...
"Não que seja a crueldade da distância, mas que seja a paciência de caminhar, sabendo que aquilo que está longe, nos chegará."

sábado, 5 de junho de 2010

Rendo-me aquilo que vivo
Sem deixar que os rastros me sejam lembranças
Rendo-me de braços abertos aquilo que a vida me dá... Sinto-me satisfeito se a mente me permitir ser, sinto-me perdido quando penso que o medo me é real... Me sentirei feliz se de tudo que eu vivi ontem, for apenas rastros! Loucura, não? Feliz serei por aquilo que fiz pensando ser bom, porque de tudo que me foi ruim, serão apenas pedaços de madeiras, construindo minhas pontes! Um belo anoitecer para quem tem olhos vivos,
Uma bela poesia para aquilo que nada é, mas forma
Pensamentos próprios por aquilo que nunca lhe disseram!

            ─ (...) Como se eu quisesse ficar do lado de fora. Vendo todo o movimento da vida me obrigar a se movimentar para estar lá dentro. A vida vai rolando, formando-se uma roda-gigante, é o que eu imagino para divertir-me num mundo que é bom. Com todos lá dentro, fico aqui parado, trazendo para este lugar. O sol está se pondo, o trânsito parado... Desaprendido a linguagem dos outros, tendo a impressão deles estarem vindo. Eu vou me atrevendo a conhecer a linguagem dos estranhos. Seguia por diante em movimentos tresloucados, um passo para fora, como uma senha sei lá, era algo parecido, ou quem sabe só impressão por estar incomodado com tantas vozes lá fora. Tinha que falar alguma coisa diferente, lembrava-se de ter conhecido a língua dos estranhos, conversava com o meados de paredes que dividiam os cômodos lá fora. Era outro andar na verdade, estava tudo fora do lugar, mas lá dentro era tudo assim mesmo. Qualquer coisa que parecia estranha estava entrando e ficando a vontade, era só assim que ele deixava ali entrar. E enquanto os outros ficavam lá do lado de fora, de nada sabiam. A palavra certa era uma frase; Aceita-te como é, e erguerá como verdade. Aceita-me como sou, e se sentirá a vontade. Aceito-te como és, e com nada mais preciso me incomodar, só conhecer. Estava vendo as estrelas se mostrarem... Lá nas quadras os meninos fumavam para impressionar as menininhas, o verde das árvores estavam encantando a cidade. A janela do prédio aberto, fazia-o estar num carrossel e aos lados grandes rodas-gigantes... No interior fazia frio...

quarta-feira, 2 de junho de 2010

"Não foi sorte, foi Deus. Não será o azar, vai ser sua tentativa. Não o que os olhos viram, mas o que teus olhos querem ver. Não é alto, porque posso subir... Não está distante, está mais perto do que posso imaginar. Não vou me dificultar em não fazer, simplesmente irei fazer é bem mais fácil."

"Acredita-se que aquilo que em nossa consciência está, é o mesmo que teremos pela frente. Quando então ela se fecha pensando que não vai lhes dar, não poderá. Mas quando então, suas imagens são as mesmas que pinturas coloridas, é o que se vê chegar em vida. "

terça-feira, 1 de junho de 2010

Não lhe devo meu caráter. Pois se dar-te-ei o meu a sentir, foi porque do teu não me destes. Me mostrastes que tem. "Filosofia pros réus"

Ela é uma criança que pode até ouvir o ursinho... Tendo seus olhos fechados, pode se imaginar numa terra onde o ser humano, só constrói a flora. E deixa de inventar as máquinas! Ocupando o seu próprio lugar terrificante de se viver e respirar a imensidão dos campos floridos. Ela ao despertar tende-a a chorar, pois até as mãos que formam as máquinas pesam somente de lhe apontar. Não deve-se fazer uma criança temer, pois ensinando a cultivar o que é bom, ela então nos será reserva de alegrias.
Uma imagem linda, para um viajante... Dedicado a Sara//.