Levanta-te

"Isso tudo aqui é muito lindo ... Mas não sou assim,
sou o que falo quando não penso pra falar."

__________________________________
"Direitos Autorais."
Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184, do Código Penal Brasileiro. Não copie sem divulgar a autoria !

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011




.
"Quando se traça um sentimento, ideal
Sabe-se de que ele existe
Seja uma ilusão ou verdade
Alguma coisa acontece neste tempo
E quando surge uma poesia
E a sentem,
Descobrem um mundo de verdade
E quando há dúvidas, a ilusão se faz presente."
"Não sou a poesia que escrevo. Mas escrevo a poesia que sou."
.
"Um segundo, só para que veja meus pensamentos
Dois para que, meus pés sejam os teus
E assim eu possa ser alguma brisa marítima.
Você nos meus pensamentos, só para eu ver os teus,
Um minuto que leva a vida,
só para descobrir que cor tem teus olhos a alma, que possuo.
Um segundo, o que imagina?."

Lá se encontra tantas coisas...
Pode-se parar um minuto
Aqui,
Basta imaginar, como seria
Os sentidos eufóricos
Silenciados pela paz em existir
Num lugar
Que não se troca os pensamentos
Mas dá vida a eles,
Vivificam,
Não só o corpo,
Mas refrigera a alma
E o jardim da casa é bonito
Pode-se conhecer outros cômodos
.
E nelas também voarei
Pois se dei a liberdade do meu céu
A ti,
significa que nele também posso voar
Com minhas asas aos horizontes
E te encontro."
_____________________________

"È o sentimento das palavras que nos permite, ler e sentir.
E ao tempo que se imagina, se vive, porque nos sentimos bem."

domingo, 27 de fevereiro de 2011

"O cômodo mudo."

Meios de ser um instrumento
Que completa as vazões do silêncio
A resposta chega, e não importa o lugar
È fundo o sentimento
_
O canto mudo
Por um cômodo vazio
Tirado do mundo
Para encontrar os meios

È brando o silêncio mortal
E que fé te impede de sentir?
A janela se abre pelo vento
A luz se achega dando cor ao vazio

Olhos abertos que tudo enxerga
Para desviar os passos dos poços
Céu vasto de sonhos
Que se abraça ao realizar o espírito que
Abranda coragem.


"È tempo...

"Seria difícil se então estivéssemos apenas ao dispor do que o mundo quer. Existe coisas que não entendemos bem o porque de nos acontecere. Mas chega o momento em que percebemos o sentido de nossa história, percorremos campos e somos circunstanciados a tudo desistir, sim a desistir! Mas das coisas que não as necessitamos, pois são as coisas qu não necessitamos que nos promovem a ânsia de desistir! Nos perguntamos, onde está a paz? Os sorrisos? Quem nos deixa? As pessoas de bom coração? Mergulhe e não importa o mar... Desde a primeira vez em que fizeste perguntas, a segunda vez nem mesmo teve uma resposta! Mas existe um lugar que na terceira vez, faz com que você já não mais queira desistir, e indo mais fundo recebe-se a impressão de estar sendo deixado para trás, todo o passado do mundo alienado, que sim, nos permite deixá-lo. Na quinta vez, já há um refúgio para que se tenha mais resposta, e na sexta vez, a fé já é capaz de fortalecer a alma, mesmo diante de uma tribulação. Percebe-se alguns momentos, jaz mudados. Mas tudo tenta lhes parar! E nada mais é como antes, quando se busca a verdade que desejamos viver... Na sétima vez, as pessoas que menos esperavam, tornam-se parte de nós, mesmo que não queira, teus olhos passam a enxergar a paz desejada, a alma sente o alívio e é capaz de nos livrar das dores que algo, ou outro desejam-nos. E quando Deus age em nossas vidas, pelo nosso desejo, chega o tempo de reviver as alegrias e salvar vidas, pois quando mergulhamos com Deus, estamos seguro de que o nosso milagre só chega na hora certa.

"Basta ter fé, assim mais fundo, pode-se receber aquilo que ainda não estávamos prontos."

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

"Só quem é o que sabe. Admira o horizonte que tens. Para além do que querem descobrir o que são para o que dizem sem eles saberem que a vida vale mais com Deus do que com os teus pensamentos."
(...)O sol depois da chuva(...)

"Um desejo pessoal."

"Vou denunciar, autoridades incompetentes! A ordem do progresso imoral, que não mede tuas consequências. 3 Milhões de Reais, para reviver fantasias modernas! E as crianças que passam fome? E os dutos, poluídos pelas empresas, que investem numa festa onde ninguém mostra a cara! Políticos nos camarotes, a apreciar um bom Black Label. Casas destruídas, e pessoas sem moradias, PROGRESSO BRASIL! REGRESSO, DA INCOMPETÊNCIA, este é o lema das autoridades."

"A alma dos sonhos."

(Não desconsertado
Fecha os olhos,
Quê?
Do que sei, se tu sabes.)

Alguns se realizarão
Outros ficaram, apenas nas recordações
Dos que divido uma idéia brilhante
Que vem do profundo para o mundo

A fantasia do carnaval revivido
Indigno plano destas direções
Da realidade que detrata as crianças
Que sentem a tristeza pela fome

Oh! Melodia da vida, real...

Oh, senão que tenho meretrizes?
O que entende a fantasia do sonho?
3 Milhões para reviver fantasias, só fantasias
E a vida? Os pequenos sonhos a realizar...

Percebas o que sente o mundo
Que trazes a chuva melindrosa
è hora de tudo mudar
Para mais nada refinar."

“A liberdade de ver, ser e escrever”

O sapo de luz fictícia queria sorvete, mas posso eu ajudar sobre a janela da sala de música? Eu corri sobre o corredor solitário, mas livre não sentia medo, pois o trenó que havia lá fora me levaria para a ficção de Noel! O respeito lúcido, a qual havia sobre os balões no céu fazia com que o olhar atento do homem fizesse das estrelas os balões a voar. O relógio tiquetaqueava, os segundos se passavam e tudo era nada, mas nada era tudo... E as horas se achegavam. As cordilheiras fotografadas em minhas viagens era como o vento livre sobre a neve, o sol fraco sem tradições, a enfatizar o medo do nada, que barrava o tudo para se será colorida paisagem da moda era o encanto dos loucos por roupas. Eu admiro a vida. E belo é ser as montanhas. A integridade da compreensão comprimia todo ódio a não existir. O amor que se dá a pêra que se degusta, detratores da vida que esquecem que há lama ainda sobre o “Haiti-Africano.” Haiti-Africano? Observo o mundo e com prosperidade tento visar à salvação diária das tragédias, se esquece de encontrar as soluções. Deus permitiu-me imaginar para crer em minha alma. A paixão pela realidade, e claro a saudade do que ainda não vivi. Deixei os carnavais para encontrar a minha paz! O reencontro do sorriso, e a distração como perseverança. Feliz as flores e o roseiral longe da cidade...
“Por muito tempo a vida fora diminuta. Mas como tudo passa, encontram-se as palavras do novo tempo a crescer, viver. A viagem das horas e o espaço pra todos. Condenas o pensamento para e duvidoso, descreve o vazio que se torna tudo um dia, esquece tudo, e deixa o nada... E não parar, pra pensar, escrever, tentar, uma, duas, três, até que se tenham quatro, para se achegar o quinto. A linha dos espaços como quem desenha um sapo jaz esquecido na história, existindo lá no lago. E como mais um minuto tudo pode sim mudar. Não permanece do mesmo modo, é diferente, a partir de agora.”
(Projeto Escrita Total)
─ Escrita Rápida...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

"Amor, Amor."

Ei, tente escutar isso que sinto
È como se eu tivesse asas, enquanto caminho
Estômago virado, por um prazer de aquários
Cheio de borboletas que dançam e encantam

Salto de nuvem em nuvem
Só para encontrar meu destino
E sei que nunca vou cair, mas tropeçar
Me fará compreender a vitória de não desistir

Quando falo contigo, descompreendo-me
Para que me entenda, e me faça viver
Eu te conto, o conto que quero viver
Tão verdadeiramente que não me preocupo

Até a lua, antes saber que somos
Feitos de pureza, e nos tornamos
Uma para que simplesmente possamos
Voar, sentir, agradecer, e não cessar o cansaço

Entende, o que sinto
Ou sente o que o coração
Faz enxergar com sinceridade ...
Tenha respostas, desde que não finja

Há quem nos responda
Basta seguir a singeleza
Do coração que deseja ser feliz
Para todo sempre, até que falte ar.

"A curva do vento."

Desembanhada transparência, rufa
Por todos os cantos, os brandos
E aonde curva o vento?
Sonhos refeitos a fazer o novo

Cumpre a chegada do dia
E inova os passos da lâmpadas
Sabedoria que congrega a verdade
Por costume, sente a felicidade

Não desiste e luta até o fim
Sabe que tudo vale a pena
Quando se teme o Esplendor
D'ónde vens inspiração?

De versículos em linhas antigas?
Ou do mundo que ainda enxergo pela sutileza?
E aonde curva o vento?
Sopra, passa, sente como a vida

Rios mansos onde nado
Sem saber mergulhar
A divindade de aprender
A simplicidade de um ser!
(Agradeço a Deus, por ter-me feito conhecer uma pessoa, chamada Lêda... Pois ela, foi quem me fez enxergar a vida, a qual vale a pena se entregar. Com toda felicidade nos dada, vale muito nesta existência, ser somente o que podemos ser, para que Deus, nos seja presente a todos os segundos de nossa vida.)

"O conhecimento da salvação."

"Existe, pois se vê nos atrelados miúdos de além um céu escuro, onde cai as gotas cristalinas para banhar o campo e inundar o mundo da sua verdadeira existência."
__________________________________
Desvia teus passos do escuro
Busque pelo olhar a luz
Não temas o perigo pensado
Sinta o escudo da verdade
Pela tua verdade sentida
Inunda os olhos d'água
E vivifica teu ser para
No frio esquentar sobre mantas finas
Ensina aos pequenos serem grandes
Pois na grandeza lcançada
Sabemos que ainda somos pequenos
Encha-te de sabedoria e não seja malfeitor
Pois a verdade escrita é cumprida
Aceite a vida dada para um bom destino
E não desfaleça a tua bondade
Esqueça o mundo um segundo
E veja Deus em todas as coisas.
Amém...

Poema que Dedico com muito carinho e respeito, a minha namorada
//Lêda Mikaelle

"Quando se luta pela própria vida. Faz na hora o que é certo."

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Primaveril, essência de feminilidades impregnada na pele
...um marcante cheiro de flor, assim mostrava-se ela.
(Erikah Azzevedo)

"Sentimentos e Sentinelas dos Sentimentos."

"Cores não representam os sentimentos... Cores dão formas as coisas que nos existem. O sentimento interior para o exterior, é só o desejo que vem de dentro. Como há horizontes azuis, há sentimento real para se viver e não colori-lo para depois falecê-lo em cinza."
_________________________
_______________________________

Era bonito mandar rosas para ela, quando os dias eram chuvosos. Era insuportável saber que aquela mesma rosa um dia morreria por dádiva de vida, por ter vindo. Arrancá-la do jardim me foi uma tortura, hoje sofro só por pensar nisso... Cabisbaixo no silêncio do quarto, eu contemplo a lua pela janela. Quem dera eu pudesse dar-te, a flor que me veio a porta arranquei as pétalas, porque? Não te importa, flores morrem como as paixões outonais. Mas o amor, permite ter o céu e as estrelas diante dos olhos, sem que eu precise convencê-la através de uma simples e singela flor que quer viver no seu vaso.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

"Por muitas vezes, eu deixei de acreditar naquilo que eu muito gostava e gosto. Algo acontecia para tirar-me do foco lúcido de realização. Uma música, uma pessoa... Algo supostamente enviado pelo que não se poderia ver. Mas hoje entendo (...) As coisas aconteciam sem a minha vontade, e isso tirava a minha vontade, contorcia-me em nós que só eram desfeitos quando eu passava a imaginar outras coisas, corriqueiras a minha vida. Era difícil eu permanecer na complexidade do que era fácil na vida. A dificuldade me surgia, e eu via naquelas ações os atalhos em minha estradas, como armadilhas que com o tempo eu poderia desarmá-las para não mais vivê-las (...) A intuição me alertava das coisas que iriam acontecer, eu sentia antes do tempo, e no tempo eu ofuscava a solução dando vazão ao que acontecia do lado de fora, por dentro eu sabia a saída. Mas me deprimia saber que eu poderia magoar uma pessoa, ou até mesmo o momento em que eu vivia. Naquele tempo, eu era jovem, receei a chegada da velhice como quem fosse pagar diversos pecados, mas era engano pagar pela bondade que eu ainda iria e vou fazer. Na vida as escolhas nos mantém submersos as dúvidas, e quando não havia dúvidas, eu sabia bem qual atitude tomar. A situação deveria ser apenas como um alicerce, e o momento a compreensão do meu eu para fora de mim, dando-me a certeza do que eu deveria e irei fazer. Difícil foi até eu deixar de acreditar no que me sustentava, e fácil foi subornar os enganos passados... Para agora ser o presente do meu futuro promissor.

"O cheiro do perfume na poesia."

.
Um perfume que os olhos não vêem
E a violência que se faz os pensamentos
Que despercebido passa longe
Dos que ouvem e não sentem

Vem e se aproxima, se achega
Por entre as folhas dispersas dos galhos
O perfume de gardênia a surgir
Descrição do sonho desejado a viver

A mágoa imensa, somente invenção
Intuição de desejos profusos
Desejos, coração em sofisticação
Fantasias de compensação, o perfume

Perfume que varia nos sentidos
Para que se tenha interrogações
Deixa-se a violência e tem ascensação
Sentimento de desilusão pela ilusão dos olhos

E tudo torna-se livre, é belo
Uma singeleza de talento pra invenção
E não nos cabe outro dia a esperar
È agora, que sinto o perfume da poesia.


"E sou agora uma inauguração de mim. Para que os outros me vejam como sou, e não como teus pensamentos me querem a ser."
"Sou a poesia que desperta a vida por sentir. Sou uma filosofia, que não se entende, decifra do modo que se pensa por bem que me faço em existir."
"Alguma coisa se vai quando não esperamos
Quando esperamos, o que por fim nos chega?
Os ramos distantes que nos aproximam
Por simplesmente imaginar, que a chegada
Sempre vale mais do que o que se foi por fim."

"A poesia florida dos dias de tédio."

"Ronda ares do tempo no tempo
Que passa assim, sem perceber
A titânica mania de proceder
As essências de um só ser."

A quantia das horas multiplicadas
Nos gestos feitos a desfazer...
E que a chuva sonde a passagem
Que não se pode ir e nem vir

Que tais coisas acontecem
Para principiar a existência
Desenha as palavras dos pensares
Profundos olhares atentos

A sintonia que afaga o tédio
Que não existe nos ventos
E passam ligeiros por todos
Se vai, se vai, e passa, sim!

'Por mim e por todos que percebem
A quântica do raciocínio permanente
De nós para nós, sem que outros
Se intertram na paragem imaginária.'


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

"O vendedor de sonhos."

.
Sou apenas um caminhante
Que perdeu o medo de se perder
Estou seguro de que sou imperfeito
Podem me chamar de louco
Podem zombar das minhas idéias
Não importa!
O que importa é que sou um caminhante
Que vende sonhos aos passantes
Não tenho bússola nem agenda
Não tenho nada, mas tenho tudo
Sou apenas um caminhante
À procura de mim mesmo
(O vendedor de sonhos)


"O ego das sombras"

No mar de dúvidas
Anseia o entendimento
As sombras maneadas
Por egos escondidos

Ainda jovem descobristes
A perplexa existência
Vendestes os sorrisos de graças
Para simplesmente o sonhar

Que realiza no escuro da noite o sono
Enquanto dormes és o príncipe
Zela para o dia ser melhor
Falas do amor como se o fosse

Águas calmas dum lago escuro
As sombras das árvores
Que devora o silêncio ao canto dos pássaros
O ego esquecido que finda as manivelas

"Lavante-se da pedra em que
Esteve sentado, não olhas para trás
Só segue avante, para o amanhã
Sempre chegar distante do ontem"

"A corrupção psicológica"

A auto-insuficiência das pessoas em nos consolar, provoca a austeridade de provocação. Simples e eficaz por sua preocupação alheia. O incógnito da vida é a toda eficácia insuficiente de promover um diálogo complexo entre os que formam um círculo amigável. A teoria das coisas está em formá-las diferentes por aqueles que são diferentes. Quem se importa com a política de seu voto? Dado pelo prazer da beleza insignificante do nome em sua sociedade? E porque? Todos se importam com as pessoas quando elas mudarem? Quem faz o quê porque quem? O que sinto? Diz-me? Fui homem demais quando pequeno, e agora sei o que me vale a pena! Se todos fossem sinceros pelo que vêem, saberiam o que fazer... Será? O que vês? È o que sentes? O que dizes pros outros, eles sabem? Sustentabilidade para mover o amanhã, sem a importância do ontem, entende? A fé sustenta e permite! O inovador como impossível, e a insistência naquilo que se conhece torna-se contínua e irreparável.
..."Minha missiva é ser eu para os outros, e não deixar que os outros me tornem o que pensam sobre mim"...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

"Dois caminhos e as estradas."

De escolhas penduradas, as estradas
Dos caminhos reservados a vida
E os ventos de regressos
A mover a vida dada por divindade

A liberdade de crer no que se quer
Sem esforço, para um caminho só
Cresce e sobe os montes, seja
Crente de si e mostre o melhor

Vencer e ser reconhecido
Conhece o caminho que seguir
Coragem pra aceitar a vida
Preservar a vontade e ser ungido

Não vive os perigos passados
A verdade vem e as ilusões
Se deixa, se lar, deixa de existir
No mundo pela fantasia

A alma revigora pelo espírito
E o corpo sente as sensações dos impossíveis
Sem ter tido medo escolhe
O bem que se deseja fazer

A terra e céu, nossa contradição
Temos que fazer a precisão
E o projeto e o sonho, a descrição
Para que o sonho enfim, não seja ilusão, e sim razão."

"A condição do (ser-humano) homem para o inferno, é ele não aceitar o céu como teu paraíso de graças."

sábado, 12 de fevereiro de 2011

"Se não haver riscos vividos numa conquista, o sonho realizado, não possuirá o mérito."
_______________________
Se eu tivesse conquistado tudo na vida. Jamais teria méritos em merecer, pois meus obstáculos foram os méritos as quais agora me vêem por conquistas."

Sonhos que são desejos de vida, tornam-se planos já realizados....
Jefferson Henrique

Se os sonhos que tens forem desejos de realizar. E não sendo nada deles planos de vida, de certo levará para a sepultura todos os conflitos.
─ Tem mais valor pelo conhecimento que nem o ouro e a prata se compra. E então brilha mais do que as pérolas e os diamantes."

"Na vida se aprende"

Se aprende que Deus não nos deixa, e que
As vezes somos nos que o deixamos
Se aprende que ai estamos perdidos
Mas é ai que ele nos encontra

Na vida se aprende que temos tudo
Olhos, boca, ouvidos e todos os sentidos
E que assim pode-se agradecer a Deus
Aprende que o amor é puro e permanece

È preciso se perder para
Aprender o que encontrar
A porta de saída
Que se aprende a abrir

Na vida se aprende a caminhar
Quando ainda somos pequeninos
Se aprende que vale "Bem" o que se deseja
E se aprende a ver Deus sobre as coisas

E tudo o que se aprende, pode-se ensinar
Aprende que o passado é segredo esquecido
È preciso aprender a amar Deus
Para que ele nos ensine a vida."

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

"Aprecio o mundo das ideias."
Ao considerar-me grande dentro de um parêntese pequeno de pessoas. Reflito os braços abertos ao topo de um arranha-céu... Vejo além de mim e depois de mim, sei que um dia terei de eternamente silenciar-me ao frio de um túmulo. As minhas limitações são extensas e quando vejo, deparo-me a elas. Volto a caminhar penetrado nos meus sonhos, sinto a liberdade das minhas trajetórias. E saio da condição que pensam ser contínua."__________________________________Jefferson Henrique__________________________________
Ao deixar os disfarces da loucura o corpo e a alma, são tratadas pela simplicidade do entendimento! Esconder a dor não é um pecado, mas sim um disfarce do sentimento. O desejo de não perdoar, é o disfarce do pecado.
"Deus se cala diante da loucura para que o sábio o questione em prol de acreditar na verdade. Loucura é não acreditar em Deus, e pensar que o amor um dia pode acabar."

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

.
"A realidade não me serve, quando não feita por mim."
.
Sempre buscamos uma razão, encontrarmos-nos
Uma resposta para o alívio da vida
O mundo é tão frio, e tudo as vezes é estranho
Há ladrões e absurdos que nem vivemos

Um mundo de regras e governantes que nos tiram
Um dia acordamos, e estamos sob pressão de tudo
Mas a vida é preparada pra isso
E assim, estamos prontos para o voo

Haverá quem nos ensine a pensar
A realidade é boa o suficiente pra sobriedade
E tudo que posso sentir, as vezes é nada além
Do que fantasio a não viver, só pensar ...

Tudo o que queremos é um pouco de vida
Florir sorrisos do coração e cantar aos pássaros
No mundo, nós decidimos nossas coisas
Tome um pouco de esperança

...E então as coisas tomam outro rumo...
Novo ar,
Incolor...
...Findado nas planícies das estrelas...

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

"E se eu colher espinhos, que eles perfurem meus dedos, pois só assim, saberei aonde não tocar e ir. E se o veneno, fazer com que fique cego por um segundo, que eu possa ver, o que está dentro de mim. Para depois enxergar a vida."
Jefferson Henrique
____________________________

"Eu esforço-me em encontrar as palavras que me vêem com facilidade. Nego os sentidos, e vivo o realismo de sentir o que quero. E não posso mais aceitar as mãos de quem conduz a rejeição... È uma tentativa lisa e vã ao fechamento do encontro ideal dos sonhos. Muitas coisas que eu disse, nego para não ser a verdade indesejada. E muito do que ainda não disse irei viver."
Em minha madrugada natimorta vi os anjos dançarem
Rodeado por luzes de aura celestial
E nas sombras dos pesadelos assisti
Com toda paciência aguardando o dia

O anjo de semblante lazúlis dizia:
"A noite é atraente, e quando dormes
Sonhas, e quando despertas
Estará prontos a vida lhes dada"

Anjos de corações gelados a palpitar
A escuridão que cai, enternece os sentidos
E dá-me vida aos olhos
E onde neva enterra-se as mentiras

O vestido claro feito de cristais
Sobre rosas vermelhas, se congela
E uma alma inocente se purifica
Petrifica a canção dos cleros

Todas as culpas e decepções
Como são privilégios
De quem vive realmente
E se perde pra achar

Além da noite tranqüila
Sobre os claustros túmulos
Dos dias jaz mortos pelo passado
Acena para a paisagem que vai viver."
E quando dito e feito
Alguma coisa vai estar
Gritar ou falar
Para se entender

A despedida, não...
Sei que seria melhor morrer
Quando fala meu nome
Eu sinto, eu sinto

Longe, muito longe
Da despedida, encurtou-se
A poesia desenhada a olhos nu
Quebrei os quadros da esquerda

Cedo ou tarde
Guardei o melhor de mim
E agora de tão cedo
Posso cantar... Canções de ninar


"Reles coração que chora sem saber que a dor do pecado é causada pelo bem que não faz." E como todo mal que se vê vende-se pela vontade do fraco. Mas de tão forte seres em bater. Pela vontade do altíssimo Deus (Espírito Santo). A dor do fraco o eleva, e a fortaleza do forte o mantém longe de verdades invisíveis. Qual realidade coexiste ao sentir? Que fraqueza o torna forte? E qual força faz com que sinta o coração?
(Minha força não está exposta em meus braços, e sim no sentido do meu coração.)
"O ato revolucionário é o ato livre por excelência."
(Jean-Paul Satre)

sábado, 5 de fevereiro de 2011

"Poemas sujos como se escrevem, limpa a sujeira vivida. Trazendo para si o hialino de um olhar puro e sincero para o que se vem novamente a florir, os campos da mente. E a alma respira o ar dos jasmins... Não são sujeiras, são rastros deixados para que não sigam.'
Assim como as águas correm
Os passos caminham sem correr
O vento frio que não se apresenta
Deixa o mormaço pairecer, ser
o tempo que se têm
E quando paira sobre a brisa
de um gole sem gosto,
Luta contra as contradições
È o navio que partes
E deixa sobre o porto
A embarcação navegada
Entre os brandos celestiais
Dos céus com vastidões de cortinas brancas
As memórias que escrevem
Os dedos que todos desenham
Sobre o amor, tem o número três
E eu não precisaria falar-lhes sobre o número três
Nem covarde e nem feito de coragem
O olhar de carruagem
Passa... Passa... E passa
O descompasso dos martírios
A poesia dança, o tempo cansa
lança-se o imensurável

||Do silêncio
Escrito
Nas estrelas
Destes dias
Em enredo
Ao que se vai fazer.''

Agora contar-lhes um pouco sobre a sorte!
Desprovida por ai, achou-se em algum motivo para escolher as coisas que se fazer... O percurso poético de uma vida niilista de tantas as coisas feitas e pensadas, Oh! Quântica existência levada pelos outros, entende-se o que pôde antes. Agora realiza o que puder, o que quer, e como feitos alcançados de tempo a tempo.
PoetaLuar
Coagido pela percas temporadas dos tempos deixados para o socorro do presente. Sem a impressão da sorte, a força do pensamento que se renova.
Sobre a existência das coisas...
_______________________
Rompe os ares de tempos
Sobre os altos montes do pensar
Pressente coisas que não se vive
Para si é só o tempo que passa
Os arredores se findam
E sabe dos dias e noites
Permitido a ser tudo
O que se quer em...
Pensar em si nem sendo dos outros
agora surge o espaço vago
E nele se descreve os sonhos
Passa a realizar e vive
De fronte a tudo o que existe
O poeta de um luar eterno
E o dia ensolarado no estado Real.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

"A forma incrédula de pensar nas coisas, permite ver o que não existe naquilo que se vive. E a forma crédula de pensar nas coisas que não se vê, as torna ilusões. A forma crédula torna-se armadilha para ilusões, e assim aquilo que antes era incrédulo, passa a ser a forma não existente aos olhos, renovando os pensamentos."
_________________
___________________
_________________
E para que tudo isso torne-se divino, é preciso ver apenas os sinais de Deus em nossas vidas, pois nunca desejou que sofrêssemos, já que carregou toda dor na cruz. Pensar e sentir, é ter fé... Ter fé, é como pensar e sentir apenas sobre as coisas que se quer. Não importa a primeira pedra, como um momento, vale tanto procurar a felicidade, pois seria ela o verdadeiro tesouro de valor no universo. Não se tem falhas, quando se tem um espelho de Deus a obedecer tuas palavras, para que estejamos sobre passos penetrados. E não em busca vã de coisas que todos buscam, a salvação encontra-se no que ainda não se viu, por isso não pode-se perder, o valor do que se quer. (Em Deus toda busca é alcançada. No mundo toda busca será frustrada senão conquistada pelas nossas verdade) Aceitar e ser o que podemos ser aos olhos da Divindade. E não permitir a existência em nada sermos um dia...
Mesmo quando tudo pede

Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para...

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara...

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência...

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não...

Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida é tão rara
A vida é tão rara...

A vida é tão rara...

(Lenine)

.
"Atirador da ira
Holofote de primeira
Que se acende
E descarrega os pensamentos"

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Que conquista está escrita?
Onde, quando, e pra quem?
Pensei, ter visto-a de longe...
Não fugiste de mim

Tem me encontrado
Eu que tenho fugido
De meu destino de conquistas
Os olhos se abrem

 Pelo que me vejo, 
torna-me o que sou
O torrencial pensar crédulo
Que degrine as ilusões

Tornam-se desapego dos dias
Que se findam infinito
Para que me conquista as conquistas
Fingir já não é tudo

Mas ser tudo, é o que tenho
E se me perguntam...
O que nasce para a vida?
pergunto: Porque Deus é Deus?

Porque me conquista
E dá-me bagagem para a vida toda
Acredite se quiser,
Pois creio naquilo que sou