Levanta-te

"Isso tudo aqui é muito lindo ... Mas não sou assim,
sou o que falo quando não penso pra falar."

__________________________________
"Direitos Autorais."
Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184, do Código Penal Brasileiro. Não copie sem divulgar a autoria !

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

"A evidente intimidade

Tocando um corpo em mil notas
Em cada segundo mil notas
Sede um corpo e dos seus beijos
Dos olhos claros que me refletem

Rompendo meus próprios desejos
Para te buscar num sonho intimo
Onde navega sobre teus mares
E nos teus lábios mato minha sede

Que teus sussurros me são ares
Ares de vida e meu prazer
E já não importa se estas longe
A tu me achego em recordar

Abandono o silêncio sem deixar que partas
Um desejo brando de teu corpo
A que me acalanto em louco desejo de amor
Assim a desejo sem medo

Ès mina coragem sem te tocar
Ès o meu mundo em me orbitar
Desejo intimo a qual a tenho
Num sonho limpido e sem fim.

"Olhar

Olhar uma pessoa
não significa ver a beleza expressa
Que carrega um olhar
Em que apenas vê a face
Toda beleza vil de perfeição
Carrega um defeito...
Defeito que não se vê ao olhar
Olhar para dentro e ver a realeza
Até mesmo o que há dentro de nós
O que assim nos faz olhar,
olhar alguém que tenha um dentro
Não só a beleza do lado de fora
Olhar alguém e ver para dentro
pensando estar fora
Uma antologia de ritmos e sons
Pois não se define o que está fora
Se conhece o que está adentro
Na mais profunda intimidade
Com todas perguntas em retóricas
Parece um medo da consciência
Que tudo mais importa se mesmo,
olhar
Olhar para dentro além-do-olhar
Que no escuro vê os abismos
E na claridão enxerga os mundos
Como se uma alma,
de uma pessoa que tudo expressa...
Só de olhar

"Na chuva é mais fácil encontrarmo-nos com nós mesmos, pois o que transparece as gotas não é nada além de uma transparência."
"Tocar uma alma significa conhecê-la. E para que possa levá-la realmente sem maltratá-la, é preciso a consciência de quê vale mais as coisas em seus lugares, do que fora para bagunçá-las, como tocar sem conhecer um coração."

terça-feira, 25 de outubro de 2011


"O homem luta, sofre, morre, quebra-se de encontro às muralhas da vida. Quando conquista posições, colhe honrarias e posses materiais. A fama sobe-lhe à cabeça e com ela o desejo de perpetuar uma situação transitória. O grande herói é, entretanto, o que se conhece a si mesmo. É invencível. É rei, apesar de mendigo. Ao morrer não deixa de existir, pois alcançou a imortalidade."
          Lao Tsé
O Mestre sabe que para governar a vida alheia requer força, mas governar a vida própria requer um verdadeiro poder.
L/T

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

"E que chores, mas nunca lamente tanto quanto podes desejar a viver."
.
"Pode ser que isso por fim te faça não acreditar que é diante das situações mais desacreditáveis que se vive. Haverá um tempo em que teremos de forçar o passo desejando um bem, sem ter do que duvidar. Não há o que garanta realmente o que desejamos, mas existirá sempre um bom motivo para acreditar que podemos mudar. È quando a tristeza bate em nossa porta e assim podemos abri-la para que simplesmente saía. Vivendo e se achando num jardim, aprendendo realmente o que é gostar, aquela pequenina nos esconde um sorriso, e preciso de alguns cuidados, ela só não pode saber que o olhar que a vê, a consola com dó, ela precisa de algo mais como, um olhar que acredita que ela pode novamente correr como gosta."
//Neguinha

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

"Os fracos carregam facas, os valentes escondem segredos."

"O que trilha a noite."

Um alívio de estar desperto
Rodeado de sonhos sem fins
O que não consome uma paz
Uma verdade de estar confinado
Ao silêncio profundo do olhar

Um corpo se revira aos lençóis
Como se buscasse um outro
Que adormecido está do outro lado
Longe da centelha da vida real

Atravessa o rio enquanto amansa as águas
Não corra, pode lhes falta o ar ...

Na trilha da noite, os sonhos
Perdidos a se encontrar nos vagos,
nos vagos campos da alma
A que adormece numa paz imensurável
Ainda sem medo de sonhar

Se achega ao profundo medo do pesadelo
E não o teme por cair no silêncio, ainda
que tarde cedo chegará a lucidez
Uma alvorada do amor a rir ao medo
Alucinando a visão sem mero motivo

Desenhando luzes as sombras.

domingo, 16 de outubro de 2011

"Pretendeis o retorno do perdão, simplesmente para que eu possa cometer o mesmo erro em acertar."

"Ni em notas."

.
"Como já sabe bem meu nome,
não há necessidade de colocações
Só uma vontade de mudar
para que se possa viver enfim, melhor

Mesmo num lugar distante,
eu sinto que ainda existo
Não sei se em você,
Mas se você em mim

Não me cabe estranhar isso
ou algumas coisas as vezes
Nada é tão normal quanto
A existir um mundo vasto

De nós, deles, o amor, a esperança
Será que temer vale mesmo a pena?
È como uma balança a fazer voar
a pequena e me"Ni"na doce
.
"Antes que tudo torne-se inconsciente de atos, presencie os sentidos possuídos. Se despertados, à razão para a consciência, se ainda adormecidos pelos temores, uma vazão para que não haja sentido na vida."

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

"Posso me conter mesmo na solidão, mas não quero viver contido assim. Preciso de algo que me faça respirar as cores da visão, e isso para que meu corpo possa sentir-se vivo além da condução da minha alma. Permaneço inerte as paixões, mas não movo-me inconsciente do amor."
"Pode-se desnudar os números, tendo em sentido o conhecimento da alma."
"Nem tudo precisa ser poesia, tudo precisa existir para se findar uma poesia."
"Não que a sua confiança faça isso tudo ser belo. Mas que o belo exista no teu pensar para que seja tua confiança do existir das coisas desejadas."

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

.
Fugir do que e pra onde?
Tenho tudo quando vejo o céu,
quando sinto meu refúgio particular
Me acolher como se nascesse
a cada amanhecer
Pra que temer, se tenho fé
naquilo para que vivo, assim:
sem medo de existir
Para meu tempo "fruir"
em sonhos sem fins
Realizando cada segundo
O agora como meu querer
O amanhã como um mistério
que ainda se vai viver

.
.
Vai mesmo esperar o amanhã?
Não, não, eu sei que não quer
Pra que adiar mais uma vez?
Sem a caminhada dos problemas
Não se pode construir isso

Você pelo menos não pode
O agora é um amanhã
Não sonhe o passado
Tens um belo futuro a imaginar

Pensar, refletir até criar

Tenha menos e tenha tudo
Mude aquilo completamente
O agora é seu amanhã
E se o momento é mágico

Acredite no amor,
O amor que te faz sentir
E não quer sempre esperar

E isso começa a se massificar
E tudo torna-se uma filosofia
Cheia de sentidos,
os que te fazem sorrir sem o motivo,
o motivo do seu passado.
//Deia
È, as coisas mudam, como o nosso tempo muda. E quando nada parece estar certo, alguma coisa passa a enternecer aquilo que chama-se ilusão, pois mesmo que não aceitemos as coisas que nos acontecem em vida, é necessário saber que estamos aqui neste turbilhão de acontecimentos naturais, ou que as vezes nos pareça ser sobrenaturais. O que me faz estranhar é: ver as pessoas buscarem sem uma verdadeira razão de viver. Ter a certeza de que buscam apenas um espaço para si, deixando de crer que ainda é possível salvar aqueles a beira do abismo. Tenho refletido pouco sobre o mundo, meditado o bastante sobre as pessoas. Auto-criticado minha inconsciência que abusa as vezes da minha sã capacidade de poder, ser, fazer, ir e pensar em não mais voltar. Quem sabe isso não soe uma solução visível, já que é totalmente errôneo acreditar nas pessoas por estas serem incapazes de si mesmas. È plauísvel que eu tente alguma coisa diferente das que já foram feitas antes, ser temer ao coágulo que nos compromete a deixa, o abandono, o desacreditar do espírito que possuímos e são fortes por nos acolherem ao corpo fragilizado que pode num segundo partir de nossas almas. Caminhar sobre os trilhos não me parece uma tarefa de loucura, afinal é perceptível a chegada do que pesa nos trilhos, podemos desviar num segundo para sobreviver, e ainda sim ter a sensação de que o vento passageiro nos acalma sobre uma terna sensação de agrado. Nada que exista neste mundo pode consumir minha paz. Nada que seja escuro pode destruir minhas cores. E por uma imensurável consciência eu não falo do amor por incosequência, se pretendo viver um que ele me seja estreito por chegada. Pois se nesta linha reta eu chegar com facilidade, não terei gosto de preservar. E se eu acredito que haja espaço além do que está sobre as nuvens, é porque eu acredito que minha alma possui a claridade do realizar.
Temos pensado o bastante no que fazer, e agora chega a hora a qual temos como um dever, fazer. Se tivéssemos dado tudo a perder porque ainda haveríamos de estar aqui? Neste plano de súbitos ideológicos? Podemos criar expectativas sem deixar de termos as possibilidades a nos guiar. O que não podemos é limpar o caminho dos outros, se faz buscar para deixar. Possuir pudores? Para que isso nos serve se limpar a vidraça nos faz enxergar a amplitude da existência? Abrir a porta para deixar ver o ego longe de nossos planos. Querer o que não podemos é como acreditar no impossível. E o espírito lança-se num voo aventureiro, entre o paraíso e abismo sem fim. A luz do sol não pode nos cegar, como a escuridão não pode nos prender. Olhando as estrelas percebendo sempre seu balé estelar, a dançar, a dançar. Fazendo de seu caminho, um caminho nunca visto. Somos nós como uma estrela, tendo uma única órbita. Dois questionamento: Viemos para o amor? Ou para o pecado? Como nascemos, temos de crescer até que um dia se finde em nossa alma a morte. Não podemos estar disposto a aceitar a plena união do passado e do futuro. "TUDO DEVE SE COMPRIMIR NO INSTANTE DO AGORA."

___________________________
Encontra a razão,
a resposta do alívio
Se o mundo é estranho e frio
esqueça as regras e os ladrões
Decida por conta própria
tenha um pouco de vida

Não se pode sentir nada
sinta a sobriedade da alma
As construções não podem ter espaços,
espaços para temores
E a realidade não nos pode valer
quando não feita por nós.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

"D I F E R E N T E"

Deixado de tanto sonhar
Ter pouco, magnificando os gestos
Não apostando só na sorte
Incrédulo do susto de azar
Navegando altos mares em estradas
Trocando barulho por silêncio
E que pesadelos somos? Dormimos!
Notas mencionadas, submergidas e salvas
Nada tão imortal quanto aos anos passados
Tirando as escórias do caminho
Ponderando os aqui dentro's
Assistem tevê, ouvem homens, testemunhas
No silêncio não existe flagrante
O que sou meu som, minha loucura
È, eles podem deixar, eu aqui e pronto
A faina, a ajuda, sem a troca de espera
Sem confundir, gritar, ameaçar
Vamos além com está garrafa
A que trás uma carta escrita
Não tem segredos falsos, no escuro
Prefiro minha garrafa que escreve a carta
È, sei lá, é diferente
Veio o que não pedi e muito mais,
do que deveria ter chegado!
"As pessoas se esforçam para estarem entre os primeiros. Os que não admiram esperar por um momento sóbrio de merecimento. Essa é a questão que faz as ilusões se desdobrarem, vindo durante uma noite quase impossível de ser bem dormida. Melhor é lembrar de nossos sonhos e assim quem sabe viver na primeira linha. Consistir sem tanta emoção, acreditar que dançar na chuva se pode recuperar a fé perdida."
"Um fato é mero. Uma verdade totalmente indiscutível."
"Quando se natural, é aceitável e temos as boas lembranças. Não faz bem quando de uma forma não é evitada, o que nos faz ter um remorso de culpa."