Levanta-te

"Isso tudo aqui é muito lindo ... Mas não sou assim,
sou o que falo quando não penso pra falar."

__________________________________
"Direitos Autorais."
Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184, do Código Penal Brasileiro. Não copie sem divulgar a autoria !

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

"Espreitas.

Como me espreitas a luz desta lua,
Como se mar e ventos me fossem vida
O que assombra estes campos?
Uma Estígie as suas margens, que correm
Como se reflete um Eu-desconhecido
Moldando cada noite, sem ter chegado ainda
Como um lugar perdido a um longo rio
Invísiveis visões, que nem mesmo foram sonhadas
Cada noite, cada noite, como um encanto
E a luz que ainda espreitas em minha mente,
Como um horizonte além do que vejo
Adentro de um Apogeu, aonde esconde-se os céus
O silêncio do campo, o murmúrio dos pássaros
E meus passos, todos perdidos
Como num sonho profundo, onde desperta,
onde despertas minhas realidades,
De sonhos que eu nunca sonhei,
De buscas que eu nunca tentei
O que espreitas em mim, que não vejo?
Agora dançando a margem do universo
Vejo este mundo de Apogeu
Como se sombras a dançarem no céu
Sem um sol, a aquecer a lua
Que se fosse minha, ninguém a tocaria.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

"Penetra-te nas coisas que deseja, e dispense tudo aquilo que incomoda, como se numa folha branca, para que lá se veja a escuridão que não vive em ti. Pois quem deve clareza a si, são seus pensamentos."

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

"Eu tenho todas as palavras do mundo a te dar, mas aqui prefiro observá-la, e dizer pouco, para que seja muito, o que poderemos viver."
"Quando eu amo, eu amo de verdade. Quando eu quero, eu busco sem receio, quando sinto, penso que estou vivendo. Quando tenho, sinto que mereci. E quando satisfaço, sinto que sou homem para me entregar."

sábado, 18 de fevereiro de 2012

"Dirija-se no caminho contrário do que te faz sofrer, e assim será feliz."

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

E a rosa beijará o dragão. E os urros dos ventos trará de volta aquilo que se chama de coração. O tempo parado sofrerá os danos do destino, como se uma peça teatral que se desenha com o presente, que não retorna ao passado, para que no futuro, tudo seja enfim, entendido ── não haveria fraqueza suficientemente pregada para os que chamam de razão, o pensamento. As coisas que se crê, são as fraquezas que não se vê. E a rosa beijará o dragão, para que ele desperte nas sombras, as cores do mundo. E que os fósseis escritos, sirvam de coroa para os que andam sem temer a morte. A idade esquecida, não pode ser o tormento para aqueles que esperam apenas um fim. Nascido uma vez, prestes a rosa que um dia morrerá. E assim, saberá que a eternidade é o coágulo presente que vivemos. Não temas criança, pois após a noite, vem o dia. Não durmas criança, pois os sonhos, são meras fantasias distintas da realidade.
"Torna-me-ei em sombras para que a luz mostre-me quem sou."

domingo, 12 de fevereiro de 2012

"Não são as escolhas, que fazem o que somos. Mas o que somos, deve ser o motivo da escolha certa."
"Além das coisas que vemos, existe uma razão para desejarmos entender profundamente, que não haja um fato que deva ser discutido."

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Sentir, sentir, sentir


Sentir o medo, como um sentido
Abandonar o pensamento,
que trás uma razão
Para que acreditamos,
que tudo, é como deve ser,
aceitar, mesmo sem querer
E encontrar novos motivos de seguir
Crescer, sorrir, imaginar,
até tudo se massificar
E mesmo que o tempo passe por mim
Serei a fragrância dos campos
uma experiência da minha alma
Um homem que acredita,
que ainda há esperanças
Nas coisas do mundo,
que perdido está
Entre solidões e companhias
Que nunca as tive,
aqui se encontrar
Um elo entre mim,
e o que eu vivo, para conhecer-me
De uma forma verdadeira,
sendo eu criador de uma história
Que por si só devo contar
Na ida de um sentimento
Um medo abandonado
E um espaço para cumprimir
Meu próprio sentimento, recompor
Como notas que toco sem instrumento
A voz do medo que deixei
A coragem das palavras que soletrei
E uma canção que citei,
sem a solitude das coisas
Que nunca desejei.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

"Eu poderia ter tido todos os sonhos do mundo. E poderia ter ido além dos meus princípios. Mas me limitando descobri exatamente onde ir, e o que fazer na hora mais certa."
Teimei em dizer coisas,
Fazer o que não devia
Limitei minhas verdadeiras vontades,
hoje me disperso disso, de tal maneira

Que estranho o que não mais importa
abandonei o pequeno espírito,
abrangi uma nova vontade da alma
Crescendo, sem perceber

Abandonei a vida alheia
fazendo-me de expectativas imensas
Que não se frustram a tentativa,
a tentativa de ter, ser, existir

Limitei apenas os pensamentos alheios
fazendo de mim, a mais pura arte de me fazer
A atração do meu próprio teatro
A qual posso atuar sem o medo de errar

Consolei as sensações de engano
Fazendo de tudo uma mera verdade
para que tudo fosse mais além
De meus sonhos e conselhos que me deram.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

"Como se um sonho de criança que um dia eu tive. Pensar que eu era grande quando pequenino. Para que assim, eu nunca fosse alto demais, além das pessoas que eu conheço. E isso para que sempre eu fosse pequeno pensando nas coisas lá do alto."
Lizy/

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

"Não costumo mudar o que começa, levo adiante para saber até aonde chega. E só assim, saber quanto espaço sobra para coisas novas."
"Não são as duas coisas que quero, mas uma apenas para entender se é dia ou noite. Faz-me como um campo estreito, frondado de árvores e outeiros escondidos. Como se um impossível que não alcançamos com o pensamento, mas sim com os braços. Que o destino nos traga água quando nos houver a sede, e que nos arranque do solo da angústia quando houver a tristeza. E que nos que agrade os dias próximos. Somos mais que os mares quando desejamos buscar o desconhecido que nos atraí para um abismo sem fim, onde não há escuridão. Que eu possa crer em mim, antes dos 'Adeuses, pois tudo o que é falso nos move em dias sem fins. E os dias precisam terminar para que se chegue uma noite enluarada. Este é um motivo que despersonaliza as canções sem sentidos, assim não temos de ser tristes e nem alegres, a que atravessamos os dias e as noites Nada que vivemos tem sentido, se não amarmos as pessoas. Nada disso é curto ou longo demais."
Perturba-me o mundo em sua feição
Incomoda-me a maneira em que buscam as coisas
Esta velha angústia, fria e surda de mim
Este meu ópio que me ofereço a ser, pessoal

Destes desertos vastos e vazios
Em que tudo se faz um deserto
Isso que passa por mim, como um vento
Que são pequenos meus pensamentos

Me sento a beira da noite,
E me sinto ter a rainha estrelada
A qual vagamente me trás a tranquilidade
Que vem trazendo ramos de flores

Que estas tantas diferenças do mundo
Faz cada casa diferente uma d'outra
numa distância perturbadora
Onde não há um santo dos impossíveis

Uma alma grande, que tenho
Mas uma vida pequena que sou
De símbolos que não entendo,
Mas que decifram toda a vida sem os Deuses.
"Não sei bem explicar, as coisas que as vezes acontecem! Sei que não são coisas minhas "as vezes" ... São como frutos de devaneios frustrados que por fim, não existem na realidade, mas sim invento do meu interior. Contudo penso que seja uma transformação exterior para o mundo, e finjo que ainda sou pequeno demais para entender as coisas mais grandes e coerentes da existência. Assim busco um meio de libertar-me, tendo a impressão de que nada é verdade."

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

"O mundo é uma longa queda de expressões e simbologias, tudo não se decifra ao ser ver. Mas ao se ver, se entende muitas coisas ocultas. Nas coisas mais simples há uma razão mais plausível de sua existência. Acredito que as maiores potências mundiais, dominam o mundo de uma forma simples, causando guerras para seus próprios lucros. Toda forma catastrófica é como parte de um plano fundado por através das maiores potências políticas, que ocupa os noticiários, tendo como fundamento audiciência. Que propaga a política em sua farsa. Entretanto em maioria dos casos mais precisos a serem tratados, pouca importância que lhes é dada. Dentro das sociedades existem percursores, e os seguidores são os menos favoráveis no quadro político: Ou seja haverá um dia em que nada mais sustentará os orgãos sociais da pobreza. E jogaram para fora os fracos de espírito que levam sempre a vantagem no céu."

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012