Levanta-te

"Isso tudo aqui é muito lindo ... Mas não sou assim,
sou o que falo quando não penso pra falar."

__________________________________
"Direitos Autorais."
Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184, do Código Penal Brasileiro. Não copie sem divulgar a autoria !

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

A luz da lua enfeita tua força vital que definha com um longo rio perdido que me encontro ... Que remenda toda tua imaginação, criando realidade. Em sua fluência posso refletir meu "Eu" no espelho de tua alma santa para moldar cada noite num encanto... Não são como paixões que se perdem, mas como um amor que se encontra. Assim o esquecimento, torna-se a força da vida, deixando aquilo que se passou ao apogeu.Tu és inspiração para meu sonhar, realidade de um dia que se desperta ...
               Lua para um sol. Sol para se dar ás noites, acalenta os sonhos. Desfazendo os nós, almejando todo cais. Para além-horizonte desenhar,
                 /Para Rabyia Marsoor.

"Um dia assim,

Que chega e deixa uma marca
Como assim somos um tempo
Que chega e se parte
Como a folha que se dispersa ...

Um dia assim, para lembrar
E sentir tudo que vem
Pois o que parte é passado
E o que se chega é 'presente'

Olhar de um vasto eclipse lunar
Que se doa a lua para ir além 
Como o amor faz se ir o receio
Sentir como quem sabe que há o amanhã

Porque se cresce a flor por um segundo
Muda o tempo a partir das horas
Evolui o pensamento pelo momento
Que não existe adeuses

Existem formas, sobre maneiras
A que nos faz viver por mais um dia
Que nos tornamos estrela...
Evento de um 'presente', um infinito sonho
                        Que jamais falece, que jamais se parte
                         Sempre cresce como se dá luz ao sol. 

            /Feliz Aniversário, Rabyia Marsoor.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

"O que se esconde aos olhos,

Para uma alma que alimenta a mente
Que de em pouco sobressoma os sentidos
Dando razão ao momento que chega e passa
Para não morrer para um mundo

Mas decifrar os segredos de um existir
Assim como o perfume das flores
Não saber, mas desejar o canto dos pássaros
O badalar do relógio sobressaltando a noite

                     E por um momento voltar a ser criança, novamente.
                                  Apenas por um minuto."

"Encanta-me,

Os sonhos perdidos
Que se encontram  ao longe
Onde nunca desfalecem as flores
Nem morrem e secam os vastos campos."

                      Além-mar,  [...] 

terça-feira, 22 de outubro de 2013

     "Deve haver sempre algo além do que se pode ver. Assim sentimos, como quando tocamos e alcançamos."

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

"O tempo em que tudo,

Não parece passar por mim
Deixa um rastro solstício do vazio
Caminha silenciosamente a solidão
Que trás alegria solitária

O realizar de um tempo pairo e perdido
Que no infinito parece se perder aos olhos
Dentro de mim, mil sonhos
Longe do corpo uma alma que vaga

A decadência dos trilhos abandonados
A que meus passos se perdem sem perceberem
O tiquetaquear de uma hora esquecida
Que carrega vagamente a madrugada

Campos desolados onde as flores se partem
Sobre aromas inebriantes,
O que enterra o sol para lua?
O que me sonha tão distante de mim?
   "Primeiro caderno de análises;
                                   [Capa branca]
                 Amarelo,
                 Azul,
                 Verde,
                 Vermelho.
        

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

[Sentir que está pronto! È como desejar ter. Querer, pode significar que não deseja.]

Um paraíso escondido,

      "Onde o mar nascia, onde a terra se submergia. Se escondia uma história, a que nunca lhes contaram. Um conto de fada, onde a lua no fundo do mar nascia. Estrela perdida que na praia se escondia, fazendo brilhar o horizonte de uma mundo quase esquecido, sonhado diferente do que se vivem. E lá onde a treva não existia, as ondas cantavam sempre uma canção, onde nina o sonho que desperta desejos e vontades de ir além do que se toca e tem. Caminha sobre as flores, pés pequeninos que são inaudíveis e alcançam os céus de nuvens que sobrevoavam as naturalidades do tempo."

terça-feira, 8 de outubro de 2013

"Porque o amor é como uma gota de orvalho! Que só se sente quando  toca a face e molha um corpo desnudo das paixões e temporadas. Porque o amor, é como um uivo que quando entoa de longe se sente. Caminha ao nosso lado feito sombra sem se notar, que passa e leva folhas secas além do nada. Uma janela que se abre para o horizonte e desenha as entrelinhas do profundo pensamento que blinda o nascer de um sentimento."Lua que se dá para o sol, dia que se dá para a noite." È ponte eterna para as passagens do presente,que faz nascer o futuro além de uma só estrada, é um passo que encontra outro sem ter rastros. Canção que alcança mares e desfaz-se por todas as ondas pesadas."

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Um verso se afronta no leste
Onde matilhas se escondem as sombras
Sonda a canção da morte
Que num solstício uiva a luna

Profundo precipício de um além
Caminha pelos cantos os medos
Frio que espreita os males que se partem
Longo campo que se deita a escuridão

De luzes que ofuscam a cidade abaixo
Voam aves invisíveis a neblina noturna
Alta madrugada onde nasce o pesadelo
E desmoronam-se as vaidades da alma

Porque o corpo sente, a alma permite
Os olhos conquistam, o pensamento se achega
Ao dezembro de um lago escondido
Que enlaça-se em sono profundo.

domingo, 6 de outubro de 2013

"Chove lá fora e assusta as folhas
Que voam sobre campos mórbidos
Esquecidos pelas areias do tempo
Desvanecem os passos que se perdem

Porque lá fora faz frio e é tarde
A beira da fogueira onde aquece os sentidos
Tudo parace fluir e navegar ao cais
Onde se deita ao além do horizonte."

terça-feira, 1 de outubro de 2013

"E lá além-do-além, onde toca a melodia da morte ás flores que o vento leva. Há espíritos eternos que ressoam o sentido da existência, ponderando inconsciente e descobertas."
"O que há no inconsciente que ainda não sei?
             Estes serão bons dias para descobrir!