Levanta-te

"Isso tudo aqui é muito lindo ... Mas não sou assim,
sou o que falo quando não penso pra falar."

__________________________________
"Direitos Autorais."
Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184, do Código Penal Brasileiro. Não copie sem divulgar a autoria !

sexta-feira, 27 de junho de 2014

"O impossível é somente aquilo que você por si só, se impossibilita de realizar."

... Sentimento, assim, sem fim.

"Que tive um sonho,
Vaguei além do tempo
Corri sobre teus campos
De flores, te colhi em sentimento

Não noite sem fim
Mas como um anjo que trás
Clareza aos olhos
Pois te enxergo além de menina

Ès como  como um divino mar
Onde se escondem meus mistérios
E flutuam minhas estrelas
Ès uma constelação, onde nada vaga alheio

Pois também és meu meu vento
De um Norte sem fim
Que se faz em todas as estações
De um tempo, em que se quer o tempo passa

Pois tudo aqui, paira
Porque te ver além do olhar,
È buscar-te, sentir-te sem tanto te tocar
Pois és folha de minhas telas
         //Imaginadas, em que um tempo distante pintei e aqui mesmo sem te ter, realizei.
          ...

terça-feira, 24 de junho de 2014

"Tristes olhos são aqueles que se perdem ou desviam do bom caminho.
Pois feliz é aquele que se encontra só e em paz, longe daquilo que sempre esteve perdido."
         "...Assim como nada é impossível ao que crê. Nada como tudo ainda nunca será o suficiente para se viver feliz eternamente."
                                           ________________________________

                È que meu coração não se divide por pessoas em suas formas, se uma melhor do que a outra se quer nisso reparo. È que sinto que há espiritualidade além de meus desejos, que seguem além de um simples olhar direcionado. Pois assim, como desvio de curvas alamaçadas eu me deixo a ser guiado por uma luz que vai além do brilho do sol que está além de meu alcance. Não posso tocar com as mãos, mas posso me aproximar com o olhar, o mesmo olhar que quando vê a criança brincar, faz transbordar em mim um rio de lágrimas, que desce além de um rio para se transformar num infinito Oceano. Foram aquelas folhas verdes que me trouxeram sentido, pois as que caíram já velhas, deram vida as novas intenções que nos trás a vida, além desta transformação da vida, além-do-tempo que me tenho, meu pensar se acalma e eu vou além do fogo que queima nom fim de uma tarde ensolarada. È que sou um templo, uma temporada, não a tempestade... Sou a comporta que se abre para dar vazão ao brilho que me faz enxergar que no silêncio e no riso fraterno da alma há sabedoria. Não pelo desespero clamar, mas pela solução reinventar. Não como a criança que grita por não ser compreendida, mas sim, como a criança que sorri por ver que há flores de todas as cores. Não apenas rosas que são rosas, mas que também são azuis e laranjas. Foi assim, plantando risos e acreditando na liberdade que alcancei a realidade que buscava e encontrou meus olhos. Foi ali, onde parecia tudo esquecido e perdido que me levantei, e somente elevando os olhos além das nuvéns que eu pude fluturar para além das malícias do mundo, para realizar em mim o Impossível de sentir minha Alma."

quarta-feira, 18 de junho de 2014

   "Eis que há um novo tempo. Uma nova hora, um momento ... Nada assim se passa tão alheio a quem sente o vento. Note que há brilho nas estrelas, e há mistérios além das superfícies visíveis."

sexta-feira, 13 de junho de 2014

            ...È que eu estou dirigindo este sentimento. Ele vem de dentro, para fora nada preciso expressar. Pois meus gestos são a direção do seu encontro. E eu sem saber onde estais, vou dirigindo este sentimento, assim, como quem quer encontrar a quem chamar de amor."
                    //Fragmentos.
            ...È que tudo brilha no alto dos pensamentos. E aquilo que elevamos ao olhar, se desprendem das mãos. Vem e vão ao vento, e se acendem como farol de um cais abandonado. Onde os segredos se desvendam meramente ao desejo do estar solitário, sobre uma felicidade solstícia,  que não parte como navios derradeiros que embarcam sem rumo ao mar profundo. Navegam perdidos sobre sonhos ao naufragados, irrealizáveis instante que se quer deveriam ter estado na mente que magnificam os olhos que buscam sabedoria. Em ter o que ver, e o que ver realizar por estar guardado. Caminham as nuvens sobre as estrelas e o silêncio que paira a beira deste lago, trás o reflexo de quem é o autor de uma vida. São trilhos infinitos, vestido por folhas de um tempo, em que o próprio tempo não apaga.
                     "Não é medo ás sombras é o pensamento que teme o que ver sem existir." 
È preciso se perder para encontrar aquilo que não se pode achar... Pois sobre este campo vasto, está tudo aquilo que além do tempo perdeu-se. Nada ressucita, nada volta, só que tudo acontece.

terça-feira, 10 de junho de 2014

E o brilho da lua vem surgindo, melindra
A superfície d'água cristalina, lazúlis
Que pernoite, esconde estes mistérios
Noturnos nunca consagrados por mãos mortais

Nada mais belo que este céu
Nada mais vasto do que este horizonte
Que me tem por olhos estrelados
Que se enchem de 'Esperança' sobre o sonho

Não há monstros nas sombras,
Há pensamentos sobre qualquer fábula
Que nasce e morre sobre o que se inventa
Cresce um vento, e vem do Norte

O farol transcende as ondas do mar
E vem trazendo toda embarcação
Enquanto paira sobre as figueiras do campo
Despertam os jasmins e perfumam a vida

Cores que brilham dentro de si
Dando vazão ao tempo que muda
Pois nada além-do-além pode vir
Sem que nos de sentido ao que viver,
                    ...
 "È que os olhos são a chave para todas as portas dos impossíveis.;Não é que não se possa realizar aquilo que está longe. Mas é necessário uma aproximação daquilo que se imagina para tocar. E se os olhos sentem falta daquilo que imaginas, de certo sua realidade não cumprime suas vontades e sonhos mais profundos."
Há dois lobos lutando no coração do homem. 
Um é o espírito e o outro é a carne;
Quem vence?
  //Aquele que é mais alimentado!

sábado, 7 de junho de 2014

"È que todas as estrelas,
São suspensas pelo ar
Assim se faz dia,
E também há noites

Por isso aqui o vento sopra
E muda o cantar dos pássaros
È que pela noite, há frio no deserto
Que procuras aqui?

Já que pela noite
Somente a voz que se lança ao luar
Pode encontrar terna segurança
Em crer naquilo que é invisível."

 "Pois há luz em teu olhar, transcende as velas que iluminam a casa. E dança feito um encanto a luz da lua do lado de fora. Desvenda os montes e mexe as estruturas dos elementos, tem o vestido rodado, lilás, e baila assim, feito o vento a estrelas minguantes."

sexta-feira, 6 de junho de 2014

 "È que teu olhar faz-me se perder em grandes devaneios. Onde navego teu corpo em mar, mesmo sem te tocar. Porque te vejo, e te tenho, assim do meu jeito. Disperso do mundo e de tudo, sou teu sem saber se és minha. Encanta-me teus sonhos, teus desejos, e assim me perco nos devaneios sem querer voltar para onde me levas. Porque diante de todas estas estradas, não há nada além de você que eu queira ver e buscar. Pois tu és o caminho e o mapa que quero me perder e me encontrar ao caminhar."

quinta-feira, 5 de junho de 2014

"Vem soprando o vento, e ouve-se o lamento de um tempo. Que outrora era regado de flores no jardim, chegou o inverno para levar o perfume que pelo ar, trazia aqui os pássaros. Que agora se movem para outro Norte sem fim, onde há luz, e tudo floresce no silêncio da madrugada. Vem se aproximando de longe um barco, sem marujos ou marinheiros, vazia feito a solidão que bate á porta.  Não é que os olhos sejam vazios e tristes, é que o tempo trás consigo as mudanças. E ainda que por dentro a ilusão do que há por fora, ali se guarda junto a uma canção que ninam os cômodos frios e solitários daquela casa. Por todos os nós antes feitos, que agora desfeito, trás um novo tempo a vida, que há de brilhar outrora. Bailando ali sozinha sobre chão laminado e quente, sobre passos deslexos, os pensamentos moldam a vida, o sentido e trás uma outra realidade. Como quem encontra paz ao sentir o espírito que busca redenção, pois sobre o mundo lá fora, só uma ilusão de que há alegrias perdidas sobre as esquinas multiladas por mortandades. Pois as esquisitices que encantam, são as mesmas que matam. Estranha assim, os males que se aproximam, mas são dissipados ao vento de fogo que somente quem tem olhos distintos da carne para ver e sentir. Sobre janelas luzes que brilham dissipando os males, carregando meros pensamentos perdidos. E sabe que algumas coisas abaixo do sol, jamais poderão serem desvendades. Como se na sociedade, de nada valesse a alma.  Pois na concepção do tempo, és apenas um grão de areia, e em tudo passas como o vento, e somente permaneça aquilo que tanto necesitas, o sentido que floresce a alma para um corpo que baila o sonho sobre profundo silêncio materno. Onde ela dorme, não há sombras que a toque."
Tão pequenina princesa vista daqui do alto desta montanha
Quê tanto lhes cobrem com prata e ouro o brilho da luna?
Se o tédio lhes acaba por dentro a alegria, finges ser
Só que é ali, onde se esconde as sombras ...

"Possui todos os cantos, mas não canta
Tens no olhar todo o encanto, mas não encanta
Ès excelência nos sonhos profundos,
onde navega sozinha aos confins da terra"

Sabe que ser o sol, também é ser lua
Pequenina princesa que vista aqui de cima
Brilha feito uma estrela aeon ao infinito
Que caminhos trilham seus passos pernoite?

 Torre alta de um castelo distante, onde ela vaga
Somente com olhar, pois distante do cais
Outrora movendo mundos de mistérios
Ès o mar em profundo encanto, acalento seu canto

Onde adormecem as rosas,
E desperta os lírios, e assim ela vai
Como quem conhece que é preciso partir
Para longe daquilo que tudo querem, e abandona o tédio."

terça-feira, 3 de junho de 2014

 ... È que toca o sino na aldeia,
E desperta os pássaros noturnos,
Tens assim o inifinito brilho da lua
Que minguam os seres que despertam

Sobre ás copas de folhas solstícias
De um outono que feito fábula
Que danças no fogo? Que trazes o vento?
Sopra forte sobre meado os pensamentos

Vagando sobre linhas abandonadas
Em trilhos frios sobre escombros
Que tanges tanto este horizonte de estrelas?
Que escapa assim, por minhas mãos

Que possui este ser intocável. Oh lua!
Aproxime-se assim de tão longe para perto
Sobre olhos vitrais de um lindo inverno em ela ser
Querendo virar assim todas as longas primaveras

Tão serena, que devasta a tempestade que se aproxima
'Ela' carrega o silêncio que tudo move,
Tens a chave que abre todos os impossíveis
Como ela, assim a mudança de todas as estações.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

               "È que vivo pela fé. Não pelo que eu vejo. Porque pela fé eu sinto. E o que vejo nem sempre é o que me dizem."
                ___________________________________________
   "È porque cada gota que cai sobre este orvalho, tem um gosto. Uma cor, que diferencia, tudo quanto ser uma gota difrente de outras entre tantas. Porque cada vento, sopra um sentido diferente. Pois há Oeste além do norte. E assim, a chuva que cai, se diferencia de uma alta tempestade que ainda não chegou. Por isso ser o agora é esquecer o ontem. Esquecer o que se foi, é como ser o futuro que se espera.
           ...È que nem toda neblina cobre o olhar infinitamente, e nem toda flor que morre. Morre eternamente,
   ...Nem tudo que parte, parte eternamente. Pois há espaço para o que é novo, sem mistérios...
         ...È que assim, toda canção trás sentidos e emoções. E sempre diferente d'outras canções...
  ..Como ventos carregam folhas. Elevamos o momento para onde bem queremos...
                 ... Imaginar, como quem pensa profundamente, e trás tudo a realidade...
      
  Sonho que finda mero espaço,
  Vagueia sobre montes longínquos.
  Onde trevas se escondem da luz
  Luz de uma lua minguante
  Como milagre eterno da vida
  E jorra água sobre cristais  Rutílios
  Que eternizam estradas distantes
  Onde só alcançamos no inimaginável
            ...Sopram os ventos as trevas.
     ...E trás o tempo, a redenção.