10 de novembro de 2010

A singularidade intocável dum poeta, faz-se nas palavras que fecundam os fatos, tendo as verdades. De tão longo o caminho, sabe que dentro dele há tuas estradas. È sim! Um infinito queira ou não.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...