21 de junho de 2018

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se além do silêncio, tão absoluto Ser, que no agito das árvores, deu nova vida as aves, suave perfume as ervas que ao chegar do dia florescerão como a manhã. Trouxe iluminuras aos pensamentos e fez da imaginação o profundo sentido fora da realidade. E enquanto o mundo dormia e o galo cantava anunciando a hora que sempre chega, deu vida ao adoecido e esperança ao cansado. E novos caminhos como chuvas, havendo um limite para cada trovão que anuncia que existem coisas que não se pode ter o controle. Mas que deixar de realizar a própria vontade, faz-nos a nada temer."

20 de junho de 2018

Ora! O homem criador das máquinas e suas engrenagens fazendo o tempo correr a todo vapor. Como vagões desenfreados pelas estações que percorrem a vida transparentemente sem se ver. Essa patologia metódica escritas por teorias de engano que estacionam todas as ações possíveis da cura do espaço em que se encaixam pequenos seres limitados ao movimento da existência para a realização do sonho abortado antes do nascimento."

Eu sou o poeta

O nascimento de um sonho
A dimensão da sua existência realizada
Feito chuva para os campos
E águas para os rios formar o mar
Que nunca se seca...
A virtude interior que transforma
Através da existência do invisível
Que trás a vista, a transcendente e formosura da vida
Basta existir para ser feliz
Basta acreditar que somos realizadores
Capazes de impedir que nos represem
Porque somos criadores de tempestades
Então, somos também o mar, o vento.

O inverno

"Todo ser humano quer satisfazer seu prazer em tudo em todas as coisas. Mas o próprio ser se esquece de que um dia seus desejos vão falhar por não poder realizar sua própria vontade. O melhor da vida é amar a si para evitar o ato da tolice em não ter e usar isso pela razão do estado alarmante...

"Em meio a noite, antes de raiar o dia. Os altos montes estão ali, ainda que o mundo inteiro adormeça. Sonâmbulos reduzidos em carros desenfreados, onde os salteadores tomam suas vidas a nada. Porque são como correntes dágua. É um breve sono estar vivo. Mil anos, é o mesmo que um único dia, isso depende de quem você é para si...

Ontem assim passou, feito a noite em sua vigília
E pela manhã vai crescendo a erva e ninguém a vê
A luz oculta da noite se revela sempre pelas manhãs
E nas vigílias das noites, lobos sopram nas sombras risos
E faz do cansaço e enfado seu orgulho, e a vida se corta
Como um conto que se conta, não se conta os dias
E eira da estrada se desfaz ao rasto de  morte
Silenciando inocentes sonhos...

"Ensina-me a contar os meus dias de tal maneira, até que eu alcance um coração sábio. E domine em mim, todas as minhas vontades. Que eu domine a minha razão, conheça meus sentimentos e não viva de emoções."

19 de junho de 2018

"Ele acreditava que poderia empinar aquela pipa no alto. Mas faltava vento...
Ele corria e tropeçava sempre. E o vento dizia: sem mim, você não é nada.
O que se vê falta, acaba e o que se precisa realmente, não se percebe e nem sente.

Então pensei: plantar a semente de uma árvore, demonstra fé no futuro. Sem nós o mundo não pode ser nada. Por isso, dilui-se vorazmente o tempo e não se nota a falta de espaço pela soma da corrupção e alienação do conhecimento humano. 

(Fragmentos)

E queira conhecer. Ter, ser, transformar impedindo o estacionamento da vida pelas emoções.
Esqueça  profundamente essa filosofia do passado: de quê queria ou poderia, e que teria sido diferente.

Pois pensamentos são como poeiras e o movimento consciente do querer realizar, faz do sonho a ponte de satisfação em obter o resultado. Ao invés de ver a vida como um conto de fada, cheio de suspiros e de páginas em branco.

Pois: páginas em branco, revelam a intensidade que a vida quer se realizar em nós. Rabiscos surgem, pela falta de capacidade em desprezar o destino dar sentido a força do esquecimento da vida pelo que ficou para trás , assumir apenas a responsabilidade de ser a matéria-prima, em que a alma como autora da história, realiza a obra-prima, que somos nós.

Nossos maiores e piores inimigos também!

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...