Levanta-te

"Isso tudo aqui é muito lindo ... Mas não sou assim,
sou o que falo quando não penso pra falar."

__________________________________
"Direitos Autorais."
Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184, do Código Penal Brasileiro. Não copie sem divulgar a autoria !

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

"È difícil escolher um lado quando se está só. Por isso, a melhor decisão é olhar para o alto."
Cada forma e cor
Desenha para mim
Aquilo que vendo vou
E deixo ser como penso
         ...E nem sou,

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

"Breves eventos, feito ventos
Tremeluzem os pensamentos
E transforma algo dentro de mim
Me modero a ser quem penso ser
Para não trespassar o tempo
Que em mim, trás a transformação
Válida, tão interior e silenciosa 
Pois os exteriores, são ilusões."

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah, eu conheço este ruído
As trevas se aproximam, como um turbilhão
Me calo e me prostro diante do que faz pulsar meu coração
As engrenagens aceleram, movem o tempo e o espaço
Nada está perdido, causa a impressão do fim
O tempo se fecha e o espaço se encurta entre mim e o mundo
Ao derredor, quase que me a atemorizar, 
Mas eu espero, me calo, e me faço de morto
Tudo está vencido, nada está perdido, eu noto
Este ruidar da vida, centraliza-me a mim mesmo
E eu começo a correr, me encontro e me livro 
|De mim mesmo, me liberto, me despeço
E deste chão em ruínas, vai surgindo um caminho
Onde antes prostrado, me elevo ao pico, 
Do que antes era um vale escuro, sombrio como o mundo é|
Assim como passou está noite, e chegou este dia
O despertar do dia, me palpitou o anseio 
De nada que se pode ver, mas desejando mudamos
Então, que chegue as trevas, para dissiparmo-nas 
Pois inda que pensamos sem vermos, há luz
Precisamos apenas, esperar, aquietar, e deixar
Quê o que em nós é Maior, agir ... O Espírito."


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

  •  "É radiante, como mais bela flor do campo,
  • Brilhante, feito estrela no céu azul
  • Em noite enluarada, torna-se intocável
  • Ser tão lindo e intocável, mas real
  • Pulsante, feito o coração que deseja viver
  • Mas faz matar os sentimentos e emoções
  • Sei ainda sim, que é radiante, pois nasce
  • De dentro, para que transforme o lado de fora
  • Essa melodia que te conto, não é história
  • Desfaz todos os picos e realiza os vales
  • Estabelece a hora em que tudo parece parar
  • Eu disse; Parece, e nunca para
  • Como nunca nos para em nada e para nada
  • É o que move o mundo em nós,
  • E desenha tudo que está em nossos olhares
  • Pulsa e aquece tudo que em nós existe
  • Cantamos esta canção, e tornamos a vida
  • Em mais encante nau, que sobre os mares
  • Faz todo vento cessa e as tempestades,
  • Se acalmarem, por isso é radiante
  • E pulsa sem que possamos ver,
  • Abandonamos os sentimentos e emoções
  • E sentimos o espírito, a libertar nossas almas
  • Voamos, cantamos; E mudamos o mundo ... 

"Não me i n s p i r a as coisas que posso ver.
Mas as cores, cores que dão nomes
A estas c o i s a s, que precisamente vejo, apenas
Mas passam derradeiras, não me i n s p i r a
Estas mesmas c o i s a s, mas o que dão nomes
A elas t o d a s, sendo todas as coisas
Que formam um mundo, e dão razão
Para que nada exista para i n s p i r a r - m e
Senão a mim mesmo, para criar  e s t a s coisas."

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

"Não diga nada, apenas deixe-me te contar algo;
Chove lá fora, e tudo parece vago,
Mas cada gota que cai, corta o silêncio que há em mim
E deslizo como cada gota de orvalho sobre as flores
Distantes de mim, num campo mórbido e cinza
Pairo aqui só e o silêncio que deveria haver em mim
Se quebra junto a tempestade que se forma depois da chuva
Sou um sonho inadequado para tudo quanto existe lá fora
Nada importa, senão estar aqui e ver, notar;
Que além destas cores, há um espaço em nós
Pobre como são as vitrais periféricas, desnudo
Meus pensamentos e encontro-me aqui
Ao meado de tua companhia muda, inquieta deste lado
Que em mim desconhecido, faz nascer o anseio
De saber o que há além deste espelho que me reflete
Tão certo e nunca falha ou erra, pois reflete certo
Porque nunca pensa, meu erro o de pensar
Quando posso eu mesmo ser a chuva que cai lá fora
E me despeço como o som que faz duma simples chuva
Uma forte e devastadora tempestade, calmos somos
Quando não pensamos, e escolhemos ver, apenas.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

"Tudo; eu digo tudo está definitivamente certo. Só depende do lugar onde você está. #

sábado, 7 de janeiro de 2017

"Não compreendo bem, o que se esconde
Sobre este olhar trespassados aos teus fios de cabelos
Que tão seus, movem teu sorriso para dentro
Uma sensação estranha, sobre uma imagem muda
 
Que me toma por um segundo, e cria um momento
Que me perco a escrever versos incontidos,
Reverso ao instante, que nada havia, desce
Fria brisa em meio aos pensares, que dissolvem o silêncio
 
E transforma o ruído em canção
Faz do tempo o campo
Onde me deito a pensar
Se te escrevo ou só te vejo
 
Mas daqui d'onde estou, não é possível me conter
Sobre cada linha que desce e dá forma
A vida, como ele é, assim tua imagem muda
Cria e ganha vida em mim, não por ousadia
 
Ou se quer atrevimento, mas com uma razão
De quê o que  chega, chega sempre por alguma outra razão
As vezes permanece, entre outras se esvai,
Mas faz-nos entender, que somos um vento a soprar
 
Que em tudo toca,
Mas que assim,
E em nada fica."

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Este universo, contido e derradeiro em suas vaidades
Faz-me descer profundas entranhas de estranhezas
Perturbam o movimento do instante, em que me acho
Pois logo me perco neste enredo que traz a vida
...
Não para que eu me desfaça, mas entenda meu destino
Mil páginas para lembrar tudo que esqueci, desvanece
E torna súbito o pairar do tempo, que transfigura tua chegada
Não são como as coisas eram antes, algo se perdeu
 
Mas fez novamente surgir o sentido de que passa o tempo
As vezes por nós e se quer notamos, que nada somos
Senão o instante que também passa, erramos em querer
Quando um gesto pode nos tornar justos a ter
 
Portanto alguns dias se passaram e eu nem sabia
Que estaria aqui, tão perto que fez-me sentir tua chegada
Havia ido em um tempo, que eu jazia esquecido,
Mas em mim, o palpite de recomeçar, aqui sem recordações
 
Apenas movido e contido por um sentimento que nunca partiu,
E tornou a ser real a chegada do teu ser, ora como a primavera
E não tão frio quanto me parece o inverno, pois aquece-me
Aquilo que sinto e sem perceber, te noto do mesmo modo que antes,
Te sentia,
"Somos incompletos até que possamos encontrar o que nos move. Quero dizer; Somos nada quando sozinhos pensamos ser alguém. Coisa nenhuma temos, senão o intuito de buscar ser. Quando passamos a ser, muito se passou e deixamos mais ainda se ir... Então que tenhamos mera paciência em esculpir o instante, e nele aproveitar o momento, que também partirá. Então, sonhamos, porque só podemos realizar uma coisa. Quando outra abandonamos, e assim, nunca somos ou seremos nada. Senão simples transeuntes. Que pela manhã tem vida, e durante a noite; padece ao fechar os olhos, somos uma sinfonia formada de pensamentos. E só formamos a canção quando então, vamos, e realizamos sem ouvir os ruídos deste século."

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Caminhos
Caminhos descalços para pés suaves 
Ainda assim, cansados
Colchões duros para noites macias
E ainda assim, insones 
Mãos inseguras para mentiras firmes
Ainda assim, mutáveis 
Olhos incertos para segredos certos
E ainda assim, insinceros
Para pés suaves cansados
Para noites macias insones 
Para mentiras firmes mutáveis 
Para segredos certos insinceros
Para, pés suaves cansados
Para, noites macias insones 
Para, mentiras firmes mutáveis 
Para, segredos certos insinceros
Para!

Assores,