1 de maio de 2012

Para//AnnaGouveia

"E se as vezes o sol deixar de brilhar, que eu me sente ao soslaio da janela, preste a sorrir para o dia, pois mesmo que escureça e eu não enxergue, sei que de outro lado o sol está a brilhar. Assim como não me vejo por dentro e brilho, que a sombra da noite não nos assole. Para que se acenda o pensamento, como a luz de vela que dissipa o terror. È quando se espera com ternura pela lua do sol a iluminar os ramos floridos além dos campos que me faço a desenhar com o olhar. È preciso olhar além da janela, é preciso pensar no mundo como uma passagem, que n'outro dia, nunca será o mesmo, pois o sol volta a brilhar a aquecer um corpo como um pensamento refletido sobre o orvalho da folha verde que um dia esquecemos de notar e regar sua planta para que sempre fosse bonita, assim mesmo sem o sol."

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...