16 de dezembro de 2009

ㅤㅤ   "Beijei meu amor numa pilha de crânios. Cortados e sangrando devido aos estilhaços, fizemos amor, entre os ossos... Sua respiração era doce, em minha língua e seu corpo nu, me era uma ápice de prazer e desejo. Seu gosto me era uma maré de sangue. No final ainda estaríamos sem respirar, éramos loucos, e estávamos mortos. Dissemos um ao outro que aquilo poderia ser um adeus. Gentilmente, escolhi um pedaço de alvura de seu ombro avermelhado e beije-o com os lábios que tinham gosto de Jade... Seu sorriso foi a primeira vida a encantar meu lar."   ㅤㅤ   ㅤㅤ   ㅤㅤ   ㅤㅤ   
ㅤㅤ   ㅤㅤ   ㅤㅤ   ㅤㅤ   ㅤㅤ   ¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯
ㅤㅤ   ♦ Beijei meu amor numa pilha de crânios. Cortados e sangrando devido aos estilhaços, fizemos amor, entre os ossos... Sua respiração era doce, em minha língua e seu corpo nu, me era uma ápice de prazer e desejo. Seu gosto me era uma 'maré de sangue'. No final ainda estaríamos sem respirar. E eu o deixaria viver... Ele era mais velho do que as pedras em que se sentava .
Ele morreu muitas vezes e aprendeu segredos dos túmulos, e passou para mim, sobre aquelas crânios. Fui mergulhadora em suas marés de insanidade, e em seu mar de loucura. Manterei minhas épocas intactas; E estando aqui, negociar tramas estranhas, por todos que eu encontrar. ♦
ㅤㅤ  ㅤㅤ  ㅤㅤ  ㅤㅤ   ─ Diário de um vampiro...

Nós que confiamos em Deus, sabemos que não é  porque podemos uma ou outra coisa que a vida se realiza ou está realizada, mas é na superiorid...