3 de janeiro de 2010

─ A mente é como uma porta. Aberta recebe o que deseja entrar. Fechada, impede que conhecemos, o que deseja nos conhecer. Depois de visto, é notável o quanto pode ou não, nos fazer bem. Como se não houvesse sorte, mas sim. Os pedidos sobre ela. E a terna impressão do azar quando nada dá certo."

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...