4 de fevereiro de 2010

"Fiz da minha mente, uma igreja. Farei do meu mundo, um lugar de visões. Do meu caminho, descobrir minhas estradas. Me tornei tolerante, para ver se poderá me tolerar. È como esvaziar a mente, para então encontrarmos as respostas precisas. Ninguém nunca vê o que não existe, mas sente-o quando então não esvazia a sua mente. Pode ser que a vida que tenhamos um dia, tenha aqui acabado. Eu aceitarei sempre os contratos que imponho a mim. Desta forma, descobrir que toda estrela, sempre se assemelhará, a um sol rescém-nascido."
           "Será tão fácil quanto criticar as coisas que costumo fazer, e escrever. Mas difícil será, imitar estas que invento...

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...