27 de março de 2010

    ... São aquelas fotos e estes
os seus sentimentos. Algumas vezes o silêncio
Sorrindo com estranhos, costuma contar os dias
tornando-se um seresteiro da esquina
Neblina que encobre os poste, ofusca a luz.

Lugares de penduricalhos, cada lágrima
a forma de um sonho, gotas pingadas
sobre taças de cristais
Não respondia, mas vivia

Eu danço neste linho de palavras
coloridas, se enroscam
Os olhos se transformam em mapas que seguem
linhas de palavras tresloucadas

Qualquer lugar se torna seu refúgio
a loucura sua percussão
que revista agora o seu silêncio
a liberdade de escrever e sermos o que quisermos.

            ─ “Não há algo errado. Como não há algo que seja certo. Eu serei o um, e eu serei o dois. Eu sou todos, e sou um. Só não sou vocês. Uma lágrima e um doce sorriso. A mão que pragueja, e a boca que beija a rosa. Sou um sonho e uma realidade. O medo e a coragem. Posso estar, ou se quiser ir embora.”

"Somos feito uma imagem de um som inaudível! A cor como o mais rarefeito da vida em sua existência interna. Coisa pela qual nada ...