22 de março de 2010

       ▪──▪ Ela tende-a crescer, asas floridas
por novos caminhos aproveita a sua liberdade
Atravessando campos de flores, longe de sua consciência
flui como ondas ao voar, quieta, encantadora
fruto daquilo que deseja viver ou onde estar
quem sabe até dos dois
entristece, e quando menos espera
descobre que não teve um fim
preenche qualquer vazio ao olhar perdido
possui cores dos mais belos sonhos
pincela o céu se misturando com a vida
não pousa nos espinhos, mas as vezes beija a rosa
(Da da da da da da da da)
Seu som estéreo me lavara pra longe que me
perdi achando estar no lugar certo
se desfaz em formosura... Borboleta."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...