19 de março de 2010

"O ódio que falo é amor... Desejos, querer, estar, ver, sorrir, dividir, Sonhaaaaaaaaaaaaaaaaar... Não há más intenções, mas pode ser que elas sejam irresistíveis e incontroláveis! Sobre o ódio que falo, ele não existe em sentir, mas pela palavra o transformo em qualquer coisa que seja boa."

É o que nos causa saudade de viver Uma coisa que não foi ainda Que não se realizou... Que tudo não pode comportar Como uma coisa única E que...