20 de julho de 2010

Desperte,
Abra os olhos e veja,
Qualquer coisa, o nada
Levanta-te, pelo que você quer
Por tudo que era o nada
Venha, descubra o que
è viver...
Tem sonhos?
Quantos deles? Quais são eles?
Qual o teu desejo?
Não deve o nada a ti?
Veja, você abriu
Os olhos
O mundo está lá fora
Para nós!
È tão real,
mas porque então
soa falso?
Não sabes ao certo
Torna-te seu
Eterno, seguidor
Acorde...
O mundo está ai
Deixe teu conduzir
Ser tua condução,
Tua lamurias, perdão
Para os que ainda
Não foram perdoados


O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...