10 de julho de 2010

Mesmo que não haja ventos no campo, voarei com as folhas que arrastam os olhos sonhadores. Mesmo que não haja folhas para voar, serei o próprio vento a buscar.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...