11 de agosto de 2010

"Não são as pessoas que morrem. Mas é o mundo que se achega para matar as pessoas, pois o mundo é devorador. Devasto de campos armadilhados. Mas o segredo de permanência é a resistência pela fé. Que se faz terna num mundo onde tudo é passageiro. Torna-se pacífico o homem, que caminha por teus passos a qualquer lugar. E aonde ainda há sombras, o homem que realmente acredita que não está no mundo, para morrer. Minuciosamente deixará a passagem, para sua eternidade. Com amor, pode se construir montes, onde as enchentes não se achegam. Com respeito, chega-se até mesmo no trono de um rei. Com carinho compreende-se a necessidade de outro por um abraço. Com o coração expresso em pureza, pode se ter tudo aquilo que desejas, sem mesmo fazer parte de um mundo, onde ninguém é dono de ninguém. Mas ainda sim, há prisões psicológicas. Não mudar as coisas que se diz, mas mudar alguém sobre seus atos pelas coisas que dizemos."

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...