30 de maio de 2011

"Enquanto minha alma vagar longe de mim, sem que eu possa vê-la, não me preocuparei tanto com minha salvação. Já que um dia terei de me ver entre o paraíso ou o inferno que eu saiba que me importar agora com isso seria até mesmo deixar de acreditar no futuro. Enquanto eu não puder ver minha alma, terei de acreditar que existe algo em mim, que exprime minha sensibilidade para fora. Fazendo assim, com que eu seja minha alma, pois deve haver um corpo por dentro."

Alguma coisa começa a se massificar
Lentamente sobre os cordões do tempo
Será minha alma? Ou minha vida?
Reuninem-se apreensivos

Uma classe marginilazidade? Ou pessoas distante da fé?
Acreditam em suas almas? Ou pedme aos santos?
È como uma estória que vou contar-lhes,
Evocando uma magia atemporal

...Um sentinela, guardador de segredos...

Levanta-se majestosamente do chão
Começa a caminhar por entre o núcleo
Encontrando uma alma perdida, a pedir socorro
Guardadora do sentinela, como uma magia atemporal

"É como se uma máquina de ferro fundido tivesse passado por cima de mim, em cima do meu corpo. Porém, ainda não havendo força e vontade...