23 de maio de 2011

"Rupturas e cordões."



Asas grandes nos pensamentos
Coroadas com as estações
São lendas que todos escrevem
Como as que acreditam

Ser algo normal como real
E se pudesse desenhar histórias
Faria como as montanhas já nascidas
E jamais morreria à tempestade

Romperia os cordões do tempo
eternizando todo sul como o norte
Derivando lestes aos oestes
Ainda sim, há de temporizar

Espera que chega a inspiração...
um minuto, espera;
Disse e ele esperou, como fui
E me viu ele voltar,
O minuto de uma hora.

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!