21 de junho de 2011

È preciso sentir para se viver.
È necessário duvidar para existir.
È preciso existir para acreditar.
È necessário acreditar no paraíso.
Para que não haja um inferno.
È preciso voar, já que podemos caminhar.

Certo de que a poesia existe

E que faz-me viver nestas eiras perdidas das estradas Desnudas da vida de homens quaisqueres de iguais Seres de areias que desfazem ao v...