21 de junho de 2011

È preciso sentir para se viver.
È necessário duvidar para existir.
È preciso existir para acreditar.
È necessário acreditar no paraíso.
Para que não haja um inferno.
È preciso voar, já que podemos caminhar.

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...