7 de junho de 2011

"Vida."

Uma poesia como o conto dos planetas
Em folhas secas que de dia-a-dia
Vão se colorindo assim as vidas
O medo de tudo sem sentir o nada

Saúde uma outra vida
Comemorando como se o primeiro voo
Um sonho dourado a sentir
Do outro lado nova diretriz

Planos de vida, negócios absurdos, o sonho dado
A índole das ideias, como se escreve o futuro
Medo de tudo, sem sentir nada
A luta pelo fim das guerras

Os rumores da velhice, ao que sentir
Eis a verdade da diretriz, vida!
Não sei de nada que não aprendi
Descobri assim como a vida ensina

Assim destrui os medos, trazendo coragem
De enxergar a vida e contemplá-la
Não preocupar-me, fazer o que designa
Os passos certos se a vida for errada.

(Projeto escrita total:
Exercício com mapa mental)

Gosto da palavra Que forma o verso E dá sentido ao pensamento Tudo pela metade Significa nada É como suicidar o pouco que se sabe E tr...