5 de outubro de 2011

.
Fugir do que e pra onde?
Tenho tudo quando vejo o céu,
quando sinto meu refúgio particular
Me acolher como se nascesse
a cada amanhecer
Pra que temer, se tenho fé
naquilo para que vivo, assim:
sem medo de existir
Para meu tempo "fruir"
em sonhos sem fins
Realizando cada segundo
O agora como meu querer
O amanhã como um mistério
que ainda se vai viver

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...