26 de junho de 2012

"Achado e perdido,


No íntimo firmamento do olhar
Que nada encontrava, senão ver 
O que não queria lhes parecer 
Realidade por se mover 
 
Ouvir nem era tanto ser
 ver deveria ser o 'crer' 
A que diversos momentos acontecia 
Èramos jovens e isso era passado 
 
E que assim nem tanto importava 
 Não deveria se assim soubéssemos 
Sem a certeza dos barulhos, 
 então passava a vida por nós 
 
Sem que ainda soubéssemos 
Que tudo passa, e nada é, 
senão o que vemos sem ouvir.
 
[Poema inédito/Publicado.

Toda essa euforia pelo qual o tempo tem transtornado, o rarefeito em que a maioria dos homens negam por insuficiência física, causando o des...