11 de junho de 2012

Um dia sonhamos, em sermos,
Sermos um sonho distante
De toda realidade que não nos faz bem
Por isso ainda de olhos abertos, podemos imaginar

Que somos como uma máquina do tempo
Que faz das coisas um termo,
A que nos compromete a vida,
Que desejamos então viver

Pensar, querer, lutar ...
È como buscar um sonho
Que ainda não somos,
Mas desejamos realizar

Fosse ela uma fada
E ele um rei
Nunca seriam iguais,
Para que tivessem as indiferenças a conhecer.

Resistir até que este tempo tivesse voltado,
E mesmo que não acredite, prefiro que sinta
Eu a amo como se a conhecesse de um longo tempo
Que somente eu sei o quanto esperei

//Senhorita, Ju Aires

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...