4 de setembro de 2013

"Tarde fria onde o sol se esconde. Me enterneço a melodia de uma doce canção, um pensamento se perde onde não me encontro, perdido assim. Me deixo ser o que imagino, simplesmente para desfazer os 'nós' e assim aproximar-me daquilo que longe esta. Faço-me um sonho acordado, que se realiza ao sentir sem que os olhos vejam"

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...