7 de fevereiro de 2014

"È que o tempo passa,
as coisas ficam,
Como aquilo que se vai,
e o vento também passa

Assim por mim, e por elas
por estas coisas,
Que sempre se esvão
pelos canteiros

São como folhas, que se desfazem
nunca sabemos, se é assim
È que me esqueço, do que se foi
Para pensar no que se vem

São como trilhos que levam o trem
a um destino despercebido
E só quando chega é que percebe
Que realmente o que se passa, já se esquece."!

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...