2 de julho de 2014

   "Quê tanto me reflete estas nuvens?  Podes ver?  Estranho, eu também não vejo, tenho sentido.
      ...São como alguns olhares que conheço, e dizem que aviões ainda são pequenos perto daquilo que Deus criou, fez e faz!   ... Estranho, não? Ser apegado a coisas que não se deve tanto se apegar.   Tenho aprendido algumas coisas abaixo do sol.  Tenho visto que além do transpassar das horas, necessitamos de um milagre sobre os momentos sombrios que os homens inventam em seus feriados nunca antes vistos e vividos."

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...