2 de dezembro de 2014

 

"Ainda insisto nos mesmos erros
E o sonho se vai por entre os dedos
Mesmo sendo assim tão difícil
Acredito estar fazendo o certo
Mesmo sendo tão aparente
Estou preso em minha própria casa
Sozinho parece impossível
Talvez até seja
Mas doze mãos são bem mais fortes
Do que dois pedaços de madeira."
                   //Fim do silêncio

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!