11 de dezembro de 2014

 "Sim, sim! Abandonei teu barco, cheio de pesos inutilizáveis. Deixei teus "ais", seus grandes erros em achar que "eu" não tentei te ajudar a remar... Foste tu só a remar? Então continue, pois desembarco aqui neste cais cheio de estrelasao vento só. E sim! Embarco aqui mesmo em um navio onde meu espírito me guia sem dar o cansaço todo aos braços."

Rufa o tempo sobre essa silhueta

Imagem do inenarrável sentimento Que faz ressuscitar perfeita ponte Onde brinca as ondas de águas claras Riacho profundo, chamado sono D...