1 de março de 2015

      (...) este vento, que sopra sobre mim. Emudece minhas palavras,
me perco, um desvio de sentinela a meio passo de uma lua
Que alumia o campo perdido de flores e trilhas escuras
passa por mim este vento e me leva além do ali
Que perdi no instante que tudo partiu para fora de mim
um sonho devastado ao seguir o labirinto do pesadelo
A sensação de nada refletir certo, só o brilho lunar
as estrelas que bailam sobre mim, sem eu entender
Um solstício de espíritos que dançam a relva noturna
Sobre orvalhos cristalinos que tocam os dedos uma canção (...)

"Atenua-se no vasto céu negro antigas estrelas e esplendorosa e formosa lua...

Fazendo mundos surgirem junto a sensação do vento noturno Solstício outono também declama o amor as folhas Onde cada uma delas também...