13 de janeiro de 2016

"Nada me pertence e nada tenho! Tudo se transforma, e se vai, feito o vento que em tudo toca e em nada fica. Se pensarmos com o coração, sofremos. Se sentimos com a alma, vivemos. Se olhamos bem para tudo. Nós é que a nada pertencemos. E assim, notamos que precisamos mesmo nos despegarmos de tudo quanto pensamos. Só assim, conseguimos agir para conquistar algo. Que um dia se partirá, ou eventualmente envelhecerá e quebrará [...] 

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...