13 de março de 2018

Porque sem tu, a minha poesia expira

Perde a razão e também o sentido
Pois sem tu, perde a cor e rumo
E perfume não há nas minhas flores
Sem tu, expira a minha poesia

Sem tu, até a escuridão que existe se perde
Porque luz tu és neste aeon de estrelas
E qualquer um deve saber que sem luz não há sombras
E sem ti, não há de existir em mim inspiração

Tu que assim me assombras
Faz-me delirar o vazio dessa existência
Que nada há mesmo com toda essa massa
Todas as coisas são supérfluas e sem brilho sem tu

Porque tu para mim é todas as coisas em uma só
Tu faz-me ser o decorar das inspirações
Que dormem no sonho que vivo
E somente se realiza ao seu lado

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!