24 de abril de 2018

Os adornos não cobrem grandes defeitos

Por isso são confundidos os olhos
Que ligeiros a passar, enganam o coração
Sufocando a alma que abandona o corpo
Iludem-se os pensamentos dentro da imaginação, fenecem os sentidos

E a verdade adormece cobrindo a realidade

Tudo que veste, cobre
Encobre, ofusca;
Mas mostra/...
Revela...

Porque obscurece e o sentido brilha, iludido
Porquanto cega, mata, enterra e encerra
O mundo, feito de ternos defeitos inaceitáveis
Tornando-os perfeitos para os pensamentos puros

O defeito que inteiro se pode aplainar, o perfeito como fumaça passa...

Muda, porque precisa;
Pára, porque é loucura
Viver simplesmente para fora; Ser folha ao vento
E revelar teus segredos

D'onde vens e para que sopras ali...

Essas sensações que me surgem e me tomam por suas cores invisíveis e de finitudes indomáveis. Me fazem saber que estou no caminho certo, não...