13 de maio de 2018

"Não que seja a coisa mais engraçada ou absurda que se possa viver ou dizer, mas vou fazer um relato:

Há um momento na vida, que todo homem culpa as circunstâncias ou as pessoas. Isso significa que dificilmente ele pode se ver e se reconhecer. Quando o homem possui a glória por vistas conquistadas pelas mãos, notamos que o mesmo vive para outras coisas. Coisas que são as mesmas, mas renomeadas. O homem em si, é a soma de todas as coisas que existem na superfície da terra. Por essa razão as coisas existem e possuem nome. Nada deve ter ou possuir glória, mas o mérito, esteja em não ser como uma parede que impede a visão das coisas que ainda não foram e não existem. Isso até o momento em que por si só, se vive distante dos pilares que o tempo destrói.

"A tragédia é ver uma sociedade submissa aos governos férreos e humanos com sentimentos imaginados, não sentidos. E não passar pela dor é o mesmo que apenas existir sem ser. Se aprende então a recriar e desenvolver a vida por suas maiores virtudes que são invisíveis, mas que abrem portas e nos tornam pessoas melhores."

Os demônios

Os demônios A penumbra da madrugada fria Onde estreitos eixos se debatem Como um finíssimo aço na mata que se propaga Um saco de ossos v...