8 de junho de 2018

"Intentais o coração para o amor e a alma para a libertação, e rebelar-se-a o vento reverso. Então, terás a sensação de que o inferno é tão real quanto tudo que deseja realizar. Visivelmente possuis capacidade para trabalhar e ter, e isso nunca satisfaz, porque sempre falta alguma coisa. "Se olhares a dispensa... O que ainda não falta, vai acabar." Portanto o amor, escreve cartas em secreto que atemoriza o mal do século que está em refrões e anúncios pelas avenidas diante dos olhos, criando um ilusório pensamento de necessidade e querer. Enganando a capacidade da imaginação para criar e não ser ludibriado pelos preços que mudam. O valor oculto só pode ser revelado ao que vê o que ninguém vê e sente o que também ninguém sente. Porque conhece somente as suas necessidades, não a capacidade aquisitiva que não é poder, é falta de tempo para si para viver pelas coisas. Que traças e ferrugem consomem, como molhos a gosto mancham...

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!