29 de dezembro de 2009

    ─ Até aqui, é isso tudo que confere as minhas escritas espontâneas, informal insana, locutora. È onde libera a minha liberdade de expressão. Trata-se de um artista não-intelectualizado, que não se deixará limitar por conceitos ou arte-manhas acadêmicas. Isso porque eu não as conheço. Represento meus pensamentos, e antes de tudo, o prazer de criar. E o resultado, é unicamente da minha sensibilidade.
            O pior é que ainda zombam de mim, dizem que por não ler grandes autos. Esqueci o luxo, para andar no lixo, e descobrir que não sou apenas um num mundo que apenas o vejo como uma multidão.

Sua voz... Quanta ternura num só ser, Mas por hoje! Almejo sonhar no teu sono E no limiar do teu descanso Repousar em teus seios!