1 de janeiro de 2010

             "Como se fossem as 'saudades' que nunca acabam. Mas tem um ponto para matá-las. Quando se encontra! Revivê-la quando nos for de real sentimento distante, ou perto. Nada que passou comprime nosso amanhã. Mas pode ser que o nosso amanhã seja cumprimido pelo que desejamos agora."

"Na vigília dessa noite, enquanto todos dormiam. O mundo a se mover sem perceberem da mesma forma ao estarem todos despertos. Movia-se ...