29 de março de 2010

[ Sentinela ]

"Foge, não tenta... Corre, não arrisca! Se esconde e não persiste, chora mas depois esquece... Dorme e sonha, vive e não sente. Pensam e não massificam, diz sentir mas são só palavras. Ama, mas não sabe do que está dizendo! Sofre e não sabe o porque. Tenta e não consegue, para e não continua. Eu vou, eu venho... Eu tenho, as vezes deixo, pode ser de outro. Sou um sentinela, que evoca magias atemporais. Realizo, e vivo. Durmo, e apenas sonho. E então isso segue por toda a minha, eternidade. Cada vez mais firme em meu núcleo, sou majestoso, quando me levanto e flagrante do que vivo por não sonhar."

Toda essa euforia pelo qual o tempo tem transtornado, o rarefeito em que a maioria dos homens negam por insuficiência física, causando o des...