29 de abril de 2010

Estas idas e vindas
Como também sentimos, mas se vão
Não há porquê de frustrar-se
Se hoje temos, amanhã nem sabemos
Temi uma perca e perdi
Teve de ir para que outro me viesse
Se os passos nos levam
Quem impedirá de nos fazer voltar?
Para o ponto que perdemos
Para ter novamente não o mesmo
Mas um que não tivemos, ainda...

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...