29 de abril de 2010

“Se vivido pela saudade de certo, se poderá ter algo pela saudade que sentimos, ou quem sabe até querer que um anseio momentâneo seja uma saudade para o amanhã. Assim teríamos algo pra sentir, e o nada nunca seria a vazão de nossa monotonia.”

Quis escrever nas noites mais frias e longas das quais cada um dos meus pensamentos eram naufrágios. Mas não fui permitido a escrever com pe...